Papo com Dallagnol

Auditor que falou sobre interferir nas eleições do TCU será investigado

Autor

22 de fevereiro de 2021, 14h35

O ministro Bruno Dantas, do Tribunal de Contas da União, ordenou a abertura de processo administrativo para apurar a conduta do auditor de controle externo Nivaldo Dias Filho, que supostamente atuou para interferir na eleição para presidência da Corte.

Reprodução
ReproduçãoBruno Dantas ordenou investigação de auditor parceiro de Deltan Dallagnol

A instauração do PAD se deu após a revelação de mensagens entre o auditor e o procurador Deltan Dallagnol pelo portal Migalhas na última quarta-feira (17/2).

Dantas destacou o seguinte trecho dos diálogos:

TCU Auditor Nivaldo 28/11/2015 – 14:50:28 Deltan, desculpe te incomodar no fim de semana. Quarta será a reeleição do Aroldo Cedraz. Precisamos de algum fato contundente sobre ele que possa convencer os ministros a não reelege-lo. O Sergio Bruno não teve tempo de mexer no processo e tomar conhecimento dos fatos. O Wilton vai tentar ajudar vendo as evidências nesse fim de semana. Você vê alguma luz?)

No despacho, o ministro afirma que diante dos fatos noticiados a conduta do servidor deveria ser objeto de investigação pela Corregedoria do TCU para verificar eventual desvio funcional. "Inicialmente, entendo que a apuração deva começar por meio do levantamento de informações no âmbito do próprio Tribunal, sem prejuízo de que, se necessário, seja solicitado ao STF o compartilhamento de eventuais provas pertinentes ao caso", diz trecho do documento.

O ministro também aponta a necessidade de verificar todas as ligações telefônicas originadas de todos ramais da unidade de lotação do referido auditor para a cidade de Curitiba (PR), no período de 15/5/2015 a 31/12/2015, bem como de eventual telefone celular profissional a ele disponibilizado.

"Devem ser verificados todos os e-mails que possam ter ligação com o Procurador da República Deltan Dallagnol e com os Promotores de Justiça Sérgio Bruno Cabral Fernandes e Wilton Queiroz de Lima", afirma o ministro no documento em que também alerta os responsáveis pelo departamento de informática do TCU para urgência do caso.

Clique aqui para ler o despacho

Tags:  

Encontrou um erro? Avise nossa equipe!