Consultor Jurídico

Law and Order

Novo aparelho da Polícia de SP identifica "supermaconha"

"Supermaconha" produzida em laboratório é 100 vezes mais forte que a erva natural e pode ser embebida em papel
Reprodução

A Polícia Científica de São Paulo passou a emitir laudos para confirmar o tráfico de drogas sintéticas. Uma das substâncias identificadas é chamada de K4, uma espécie de "supermaconha" sintética, 100 vezes mais forte do que a droga ordinária.

O tráfico dessa droga não é novidade. Desde 2019 a polícia já havia registrado apreensões desse tipo de droga nos presídios paulistas. Segundo reportagem do site G1, até março deste ano foram registradas 483 apreensões de K4; em 2019 foram 1.821 apreensões.

Apesar das apreensões, ninguém poderia ser preso por comercializar a substância porque os laboratórios da polícia do país não tinham capacidade técnica para comprovar que o K4 é uma droga.

O novo dispositivo usado pelos peritos custou R$ 300 mil e é fabricado nos Estados Unidos. O equipamento analisa uma gota da substância e em minutos identifica a droga, seja a K4 ou qualquer outra droga sintética.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 14 de setembro de 2020, 20h55

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 22/09/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.