Consultor Jurídico

Agenda 2030

STF promove seminário online com a Universidade de Oxford

Seminário será realizado pelo Supremo em parceria com a Universidade de Oxford

O Supremo Tribunal Federal, em parceria com a Universidade de Oxford, do Reino Unido, promove seminário virtual sobre governança judicial e democracia. O evento terá a participação de especialistas estrangeiros e brasileiros que estudam, produzem pesquisas ou atuam diretamente nos temas debatidos.

O seminário acontece nos próximos dias 22 e 23 de outubro, a partir das 9h. Entre os temas abordados estão a Agenda 2030 e novas tecnologias voltadas a atividade jurisdicional.

O webinar é o primeiro de outros que serão realizados no projeto "Conexões e Saberes", da Secretaria de Altos Estudos, Pesquisas e Gestão da Informação do STF. Além das parcerias com Oxford e o LAC, o evento é organizado conjuntamente com órgãos internos ao Tribunal como a Secretaria-geral do STF, o Gabinete da Presidência, a Secretaria de Altos Estudos, Pesquisas e Gestão da Informação, a Assessoria de Assuntos Internacionais e a Secretaria de Comunicação Social, além de contar com o apoio do diretor-geral do STF, do Cerimonial do STF, da TV Justiça, da Secretaria de Administração de Serviços e Gestão Predial e da Assessoria de Comunicação da Presidência.

O seminário será transmitido pela TV Justiça e pelo perfil do STF no Youtube e, portanto, não é necessário inscrição prévia. Com informações da assessoria de imprensa do STF. 

Clique aqui para ver a programação do evento




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 14 de outubro de 2020, 21h01

Comentários de leitores

1 comentário

Que tal debater o fim da escravidão moderna da OAB?

VASCO VASCONCELOS -ANALISTA,ESCRITOR E JURISTA (Administrador)

Por Vasco Vasconcelos , escritor, jurista. “DE TODOS OS ASPECTOS DA MISÉRIA SOCIAL NADA É TÃO DOLOROSO, QUANTO O DESEMPREGO ( Janne Adms)
Senhores membros da ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO – OIT, ajude-nos abolir de vez o trabalho análogo a de escravos no Brasil, a escravidão moderna da OAB e inserir no mercado de trabalho cerca de quase 400 mil cativos ou escravos contemporâneos da OAB, devidamente qualificados pelo Estado (MEC) jogados ao banimento sem direito ao primado do trabalho. "O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigualdade, de descaso". Antes da promulgação da Lei Áurea, era legal escravizar e tratar as pessoas como coisa, para delas tirarem proveitos econômicos. A história se repete: Refiro-me ao jabuti de ouro da OAB, o famigerado caça-níquei$ exame da OAB, cuja única preocupação é bolso dos advogados devidamente qualificados pelo Estado (MEC), jogados ao banimento, sem direito ao primado do trabalho, renegando pessoas a coisas.
Segundo o Egrégio STF a violação do direito ao trabalho digno impacta a capacidade da vítima de realizar escolhas segundo a sua livre determinação. Isso também significa “reduzir alguém a condição análoga à de escravo” (STF). Durante o lançamento do livro ‘Ilegalidade e inconstitucionalidade do Exame de Ordem do corregedor do TRF da 5º Região, Desembargador Vladimir Souza Carvalho, afirmou que exame da OAB é um monstro criado pela OAB. Disse q nem mesmo a OAB sabe do que ele se trata e que as provas, hoje, têm nível semelhante às realizadas em concursos públicos para procuradores e juízes. “É uma mentira que a aprovação de 10% dos estudantes mensure que o ensino jurídico do país está ruim. .

Comentários encerrados em 22/10/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.