Consultor Jurídico

MP irá analisar

PF indicia Geraldo Alckmin por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Ex-governador de São Paulo foi indiciado pela Polícia Federal nesta quinta-feira (16/7)

A Polícia Federal divulgou nesta quinta-feira (16/7) que o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB-SP) foi indiciado sob a suspeita de crimes de corrupção passiva, falsidade ideológica eleitoral e lavagem de dinheiro.

Também foi indiciado o ex-tesoureiro do PSDB Marcos Monteiro e o ex-assessor Sebastião Eduardo Alves de Castro.

A indiciamento é baseado nas delações de ex-executivos da Odebrecht, extratos telefônicos, conversas pelo aplicativo Skype, documentos e análises periciais do sistema de informática da Odebrecht.

Os delatores acusaram repasses de R$ 10,3 milhões do setor de propinas da empreiteira às campanhas do tucano para o governo do Estado, em 2010 e em 2014.

Os promotores do Ministério Público de São Paulo irão analisar os materiais obtidos pela PF e vão decidir se apresentam denúncia contra o ex-governador, pedem novas diligências ou arquivam o caso.

Por meio das redes sociais, o PSDB se manifestou sobre o caso. "Governador quatro vezes de São Paulo, quase cinco décadas de vida pública, médico, Geraldo Alckmin sempre levou uma vida modesta e de dedicação ao serviço público. É uma referência de correção e retidão na vida pública. Tem toda a confiança do PSDB."




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 16 de julho de 2020, 19h10

Comentários de leitores

1 comentário

Polícia indicia ...

Arlete Pacheco (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Entendo que qualquer cidadão, independentemente de gostarmos ou não dele, tem o direito constitucional da presunção de inocência até final decisão de um conflito. Todavia, lamentavelmente, o que temos assistido é exatamente o contrário, pois a divulgação de fatos que deveriam ser resguardados são amplamente divulgados, fazendo com que, de início, a pessoa seja alvo de curiosidade, dos julgamentos precipitados, do descrédito cujo potencial de afastamento dos amigos, dos familiares e até da perda de emprego é real! O Congresso, que existe para dar proteção aos cidadãos, através das leis, já deveria ter se empenhado em estabelecer legislação que determinasse a proibição da divulgação do andamento de um inquérito policial pois, nesse estágio, não há sequer a garantia de que o Ministério Público, na qualidade de Fiscal da Lei e Titular da Ação Penal, encontrará elementos plausíveis para oferecimento da denúncia!!! Enquanto isso a honra do investigado vai sendo deteriorada e seu nome alvo de chacotas ou de ilações maldosas!!! Se, ao final nada ficar provado, quem ou o quê compensará o constrangimento sofrido?

Comentários encerrados em 24/07/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.