Consultor Jurídico

Informações sensíveis

OAB pede abertura de inquérito para apurar vazamento de dados

OAB pede que a Polícia Federal investigue vazamento de dados de seus associados em documento
oab.org.br

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil pediu na terça-feira (11/8) que a Polícia Federal abra um inquérito para investigar o vazamento de informações de sua base de dados.

Na notícia crime enviada, a entidade alega que não sabe informar quais são os autores do conteúdo da postagem ou da suposta invasão; tampouco se os dados foram de fato acessados e divulgados, pelo que requer a instauração de investigação policial primordial para que se possa buscar amenizar o resultado do suposto crime e uma futura condenação dos envolvidos.

A OAB foi notificada sobre o problema pelo grupo de pesquisadores de segurança Insanity Security Lab, que fez uma postagem no Facebook sobre vulnerabilidade no site da OAB Nacional.

Entre os dados vazados no sistema da entidade estão nomes, endereço, número de celular, do título de eleitor de parte de seus associados. "O Conselho Federal da OAB, sabendo da sua responsabilidade com os seus inscritos e buscando impedir que dados de mais de um milhão de advogados do Brasil sejam divulgados de forma criminosa, requer seja determinada a abertura de inquérito policial para averiguação dos fatos apontados", diz trecho do documento assinado pelo presidente da OAB, Felipe Santa Cruz. Segundo a entidade, a vulnerabilidade do sistema já foi corrida.

Clique aqui para ler a notícia crime enviada à PF




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 12 de agosto de 2020, 21h53

Comentários de leitores

1 comentário

E a fraude da Lei nº 8.906/94 denunciada pela ANB ?

VASCO VASCONCELOS -ANALISTA,ESCRITOR E JURISTA (Administrador)

Por Vasco, Vasconcelos, escritor, jurista e abolicionista contemporâneo .
Recomendo a leitura dessa Aula Magna disponível: https://www.gentedeopiniao.com.br/opiniao/os-193-anos-dos-cursos-juridicos-x-26-anos-de-exploracao-dos-cativos-dos-oabr/>Alô Senhores membros da Organização Internacional do Trabalho – OIT, Organização dos Estados Americanos – OEA, Tribunal Penal Internacional – TPI e Organização das Nações Unidas – ONU, Ministério Público Federal – MPF, e os omissos e subservientes Deputados Federais e Senadores da República, até quando os Senhores vão aceitar: Lesões à ordem jurídica e a direitos constitucionalmente garantidos relacionados a FRUSTRAÇÃO AO EXERCÍCIO REGULAR DE DIREITOS DOS TRABALHADORES?
O trabalho análogo a de escravos, a escravidão moderna da OAB? E também a fraude da Lei nº8.906/94 (Estatuto da OAB), a qual não foi votada nas comissões de praxe do Congresso Nacional, não foi debatida com a sociedade, fatos estes denunciados pela Associação Nacional dos Bacharéis em direito – ANB, junto ao MPF, Congresso Nacional e até junto ao Egrégio Supremo Tribunal Federa. O projeto de Lei 2.938/1992 que deu origem ao Estatuto da Advocacia Lei n° 8.906/1994 foi aprovada mediante fraude. Não foi votada pelo Plenário da Câmara Federal e nem pelo Senado Federal como exige o Regimento Interno e a Constituição Federa. A Lei 8.906/1994 tem grave vicio formal e material insanável. Trata-se de uma fraude. A ANB Associação Nacional dos Bacharéis em Direito, Ajuizou a ADI 6278/2019 no STF questionando a referida Lei. (..) Os 400 mil cativos da OAB, exigem o respeito ao direito ao primado do trabalho e a dignidade da pessoa humana. DIPLOMA DE ADVOGADO, JÁ. Chega de exploração..

Comentários encerrados em 20/08/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.