Direito do Mar

Professor de Direito da USP, Wagner Menezes é nomeado árbitro na ONU

10 de janeiro de 2024, 16h42

O professor Wagner Menezes, Departamento de Direito Internacional Comparado da USP, foi nomeado árbitro na Organização das Nações Unidas (ONU). Ele atuará no sistema de solução de controvérsias da convenção das Nações Unidas sobre Direito do Mar.

O professor Wagner Menezes agora é árbitro da ONU

“Estar no quadro dos árbitros é uma grande honra pelo reconhecimento das Nações Unidas e representa a possibilidade de contribuirmos para a solução pacífica de controvérsias nas relações internacionais e no uso sustentável do mar com benefício para toda humanidade”, disse o docente.

Para ele, a nomeção é também a expressão da tradição da Faculdade de Direito da USP em ser espaço de liderança do pensamento jurídico no país. “Esse reconhecimento do mundo, aumenta ainda mais nossa responsabilidade ao assumir tal missão”, acredita.

Conforme explica, a ONU reúne os principais especialistas no tema no mundo e, caso haja uma controvérsia entre estados e as partes optem pela arbitragem, ele poderá ser indicado para mediar o conflito.

A convenção foi adotada pela Terceira Conferência das Nações Unidas sobre o Direito do Mar e aberta para assinatura, juntamente com a Ata Final da Conferência, na Jamaica, em 1982. Na ocasião, foi adotada de acordo com a resolução 3.067 que ocorreu em 1973, e adaptada pela Assembleia Geral.

De acordo com o documento, à época da assinatura de ingresso do Brasil, o governo brasileiro entendeu que o regime aplicado na prática nas áreas marítimas adjacentes à costa do Brasil é compatível com as disposições da Convenção. Com informações da assessoria de imprensa da USP.

Encontrou um erro? Avise nossa equipe!