Consultor Jurídico

Carta X Covid-19

Em debate: o choque entre a Constituição e a prevenção

Até que ponto os mandamentos da Constituição Federal comportam as situações criadas pela epidemia que varre o país? Essa é uma das questões que serão examinadas na próxima segunda-feira (27/4), a partir das 15h, no seminário virtual “Constituição em tempos de crise: até onde vai a força do texto?” — clique aqui para assistir ao evento.

Compõem a Mesa o ministro do STF, Gilmar Mendes; a presidente do TST, Maria Cristina Peduzzi; o constitucionalista português, Paulo Mota Pinto; o advogado Lenio Streck; e o conselheiro do CNMP, advogado e professor da USP, Otavio Luiz Rodrigues Jr.

As imposições para prevenir o contágio generalizado do coronavírus têm sobrepujado garantias individuais e direitos fundamentais, como direito de reunião e de locomoção. Ao mesmo tempo, tornaram-se rotina a colisão entre as competências municipais, estaduais e federal.

“Na Alemanha, já se pergunta se a Constituição não deveria ser atualizada para comportar a situação”, exemplifica o ministro Gilmar Mendes — o que sugere reflexão sobre o que ocorre no Brasil.

No campo do direito do trabalho, a ministra Maria Cristina Peduzzi, levanta questões igualmente perturbadoras, como a previsão da irredutibilidade salarial, direitos e proteções constitucionais ao trabalhador. “Os direitos trabalhistas, como direito social, não são cláusulas pétreas”, indaga a presidente do Tribunal Superior do Trabalho.

Clique aqui para acompanhar o debate ao vivo, a partir das 15h de segunda-feira:




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 24 de abril de 2020, 11h27

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 02/05/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.