Consultor Jurídico

TV Conjur

Veja a íntegra da entrevista com Felipe Santa Cruz, presidente nacional da OAB

Depois de cinco trechos da entrevista concedida à TV ConJur no último dia 10 de março, a revista eletrônica Consultor Jurídico disponibiliza nesta sexta (3/4) a íntegra da conversa de cerca de 1 hora com Felipe Santa Cruz, presidente nacional da OAB, na sede da empresa, em São Paulo.

Para o advogado filho único de Fernando Santa Cruz, desaparecido político aos 26 anos de idade no Carnaval de 1974, "o Brasil é terra fértil para rupturas políticas, com embasamento jurídico".

O presidente da OAB também falou sobre a criminalização do sigilo profissional do advogado e foi duro com o excesso de oferta dos cursos de Direito do país.

"O Ministério da Educação hoje é absolutamente fechado a esse debate. Quer ampliar a partir do ensino à distância. É um estelionato, não tem outro nome. Estão roubando, batendo a carteira dessas famílias."

Também se disse tranquilo em relação às contas da entidade, que tem sido cobrada pelo Tribunal de Contas da União, e voltou a defender eleições diretas para a escolha da liderança nacional da OAB.

Veja abaixo a íntegra da entrevista:

Ou clique aqui para ler a transcrição da entrevista.

Veja outras entrevistas da TV ConJur:
Dias Toffoli, presidente do Supremo
Luís Roberto Barroso, ministro do Supremo
Augusto Aras, Procurador-Geral da República
Felipe Santa Cruz, presidente da OAB
Lula, ex-presidente da República
Michel Temer, ex-presidente da República



Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 3 de abril de 2020, 15h51

Comentários de leitores

3 comentários

Doutor felipe

O IDEÓLOGO (Cartorário)

Lute o bom combate.
Lute pelos associados.
Lute pela honestidade.
Lute pela ética.
Lute pela sociedade.

A oab não pode ser política

Limago (Advogado Autônomo - Civil)

Atualmente a OAB está sendo utilizada pelo presidente em exercício para expressar suas convicções políticas. A OAB não é de esquerda ou de direita, trata-se de uma instituição imparcial em todos os sentidos. Não devemos permitir sua utilização ideológica. ⚖️

Esperava o fim do trab análogo à de escravos, OAB

VASCO VASCONCELOS -ANALISTA,ESCRITOR E JURISTA (Administrador)

Por Vasco Vasconcelos escritor jurista e abolicionista contemporâneo Brasília DF Brasil. A escravidão foi a abolida á há 131canos mas até hoje as pessoas são tratadas como coisas para delas tirarem proveitos e econômicos. Refiro-me ao trabalho análogo à de escravos a escravidão moderna da OAB moderna da OAB. Acontece seis anos OAB vem se aproveitando dos governos omissos covardes e corruptos para impor sua máquina de triturar sonhos e diplomas gerando fome desemprego depressão síndrome do pânico , Síndrome de Estocolmo e outras comorbidades diagnósticas uma chaga
social que envergonha o país dos desempregados e dos aproveitadores que lucram praticando o desemprego.
Pare Senhores de pegar o medo o terror e a mentira. O que é melhor para um país em desenvolvimento 1700 faculdades de direito ou 1700 cracolandias?
"O Brasil último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança que torna a nossa classe dominante enferma de desigualdades de descaso e de descaso".
Darcy Ribeiro. Até agora OAB já abocanhou extorquindo com altas taxas de inscrições e reprovações em massa mais de UM BILHÃO DE REAIS sem nenhuma transparência sem nenhum retorno social sem prestar contas ao Egrégio TCU gerando fome desemprego depressão síndrome do pânico doenças psicossociais e outras comorbidades diagnósticas uma chaga social que envergonha o país dos desempregados e dos desempregados. Depois que no último EXAME caça níqueis OABFGV serem FLAGRADAS PLAGIANDO vergonhosamente questões de outra Banca examinadora para FERRAR ainda mais seus CATIVOS e aumentar o lucro da OAB essa EXCRESCÊNCIA perdeu de vez a credibilidade e tem que ser sepultada URGENTE.
Mas QUEM lucra com o trabalho análogo à de escravos a escravidão moderna da OAB. Isso é Brasil

Comentários encerrados em 11/04/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.