Consultor Jurídico

Notícias

reclamação disciplinar

Conselho reabre investigação contra Dallagnol sobre conversas vazadas

Por 

O Conselho Nacional do Ministério Público Federal decidiu, nesta terça-feira (13/8), reabrir investigação contra o procurador Deltan Dallagnol envolvendo o conteúdo das mensagens trocadas por ele no aplicativo Telegram.

CNMP reabriu investigação contra Deltan Dallagnol envolvendo o conteúdo das mensagens trocadas por ele no Telegram
Fernando Frazão/Agência Brasil

O procedimento estava arquivado desde junho por decisão monocrática do corregedor Orlando Rochadel. Na ocasião, ele afirmou não ser possível verificar a autenticidade das conversas nem se houve algum tipo de adulteração nas mensagens.

"Não há indícios que justifiquem a abertura de uma reclamação disciplinar contra os procuradores considerando a ausência de qualquer elemento que indique materialidade de ilícito disciplinar imputado." 

Os conselheiros Erick Venâncio e Leonardo Accioly pediram agora a revisão da decisão. O caso então volta a tramitar, e um novo relator pode ser escolhido, que analisará se o pedido deve continuar arquivado ou se a sindicância deve ser instaurada.

Sem reabertura
Em nota, a força-tarefa da operação "lava jato" esclarece que o procedimento decorrente de mensagens não foi reaberto, mas sim foi encaminhado a um Conselheiro para avaliar a pertinência de submeter sua reabertura ao plenário

"O procurador Deltan Dallagnol irá se manifestar quando requerido institucionalmente em relação ao Procedimento Administrativo", afirma a nota. 

 é correspondente da revista Consultor Jurídico em Brasília.

Revista Consultor Jurídico, 13 de agosto de 2019, 12h02

Comentários de leitores

4 comentários

Sandro Xavier (Serventuário)

Carlos (Advogado Sócio de Escritório)

Sandro Xavier (Serventuário)

Explica para mim, como vc passou no concurso de serventuário falando mandado invés de madaTO?

Vc deve ser das antigas, onde qq um (no bom sentido) passava em concurso público.

Semideus

olhovivo (Outros)

O ego do sujeito foi inflando até a exaustão com os holofotes, até que se convencer de que era mais estrela que aquelas que brilham no céu... aí foi esquecendo que sua atuação deveria ser nos autos e, como semideus, passou a querer controlar o STF, a eleição de políticos e as manifestações populares, mas tudo nas sombras. E não aguentou ficar só nisso... o "vamos lucrar" falou mais forte.

Indicados da OAB

Sandro Xavier (Serventuário)

Esses dois aí são indicados da OAB e o mandado acaba em setembro.

Ver todos comentáriosComentar