Consultor Jurídico

Na ordem do dia

Câmara e Supremo devem analisar prisão de deputado nesta tarde

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, informou pelo Twitter ter convocado uma reunião da Mesa Diretora para as 13h desta quarta-feira (17/2), seguida de reunião com o Colégio de Líderes, para decidir o que fazer em relação à prisão de Daniel Silveira (PSL-RJ), que ameaçou o Supremo Tribunal Federal e defendeu a ditadura.

O deputado Daniel Silveira foi preso por ameaçar o STF e defender a ditadura militar
Luis Macedo/Câmara dos Deputados

"Nesta hora de grande apreensão, quero tranquilizar a todos e reiterar que irei conduzir o atual episódio com serenidade e consciência de minhas responsabilidades para com a instituição e a democracia", escreveu Lira.

O presidente do Supremo, ministro Luiz Fux, afirmou à revista Veja também ter colocado a ordem de prisão na pauta desta quarta-feira, que começa às 14h, como o primeiro item do dia.

Silveira foi preso em flagrante, por ordem do ministro Alexandre de Moraes, após ter divulgado um vídeo com ofensas rasteiras ao ministro Luiz Edson Fachin e ainda criticando outros membros da corte, como Gilmar Mendes, Dias Toffoli, o próprio Alexandre, Luís Roberto Barroso, e Marco Aurélio, segundo o G1. O vídeo foi retirado do ar.

Qualquer prisão de deputado deve passar pelo crivo da Câmara; além disso, no Supremo os ministros devem decidir se referendam a decisão monocrática de Alexandre de Moraes, que foi tomada no âmbito do inquérito contra fake news e ataques aos ministros.

Mesmo depois de preso, Daniel Silveira ainda tentou incitar pessoas que pensam como ele a se movimentar pela instauração de uma ditadura no Brasil. Considerado um parlamentar despreparado para o cargo e até desequilibrado, Daniel Silveira se orgulha de ter sido preso "mais de 90 vezes" pela Polícia Militar do Rio de Janeiro pelos delitos que cometeu. O deputado, que diz ser professor de luta, ficou famoso ao bater numa placa de rua com o nome da vereadora Marielle Franco, assassinada em 2018.

Inq 4.781




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 17 de fevereiro de 2021, 10h03

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 25/02/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.