Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Reforço futuro

Cármen Lúcia e Fachin prometem criar grupo para agilizar "lava jato"

O Supremo Tribunal Federal anunciou, nesta segunda-feira (17/4), que vai criar um “grupo de reforço especializado” para agilizar a análise de inquéritos e ações penais ligados à operação “lava jato”. Ainda não há informações sobre o número de integrantes, o perfil dos membros ou quando a equipe começará o trabalho.

A ideia foi definida na tarde desta segunda durante encontro da presidente do STF, Cármen Lúcia, com o ministro Edson Fachin, relator da “lava jato” na corte. A assessoria de imprensa do Supremo diz que o acerto entre os dois “não tem nenhuma relação” com pedido da Ordem dos Advogados do Brasil para acelerar processos que envolvem pessoas com foro por prerrogativa de função.

Fachin reuniu-se com ministra Cármen Lúcia e deu início oficial a investigação de Aécio Neves, Jucá e Renan Calheiros.
Carlos Moura/SCO/STF

Ainda nesta segunda (17/4), Fachin determinou que sejam enviados à Polícia Federal inquéritos envolvendo os senadores Aécio Neves (PSDB-MG), Romero Jucá (PMDB-RR) e Renan Calheiros (PMDB-AL).

A decisão dá início ao processo de investigação na PF, que poderá solicitar quebras de sigilo telefônico e fiscal, além da oitiva dos próprios acusados.

Renan Calheiros foi citado em quatro inquéritos envolvendo a Odebrecht e passou a responder a 12 investigações na operação. Todos negam ter cometido quaisquer crimes. Com informações da Agência Brasil.

Revista Consultor Jurídico, 17 de abril de 2017, 19h22

Comentários de leitores

2 comentários

Não é da alçada da OAB impor ordem no STF

VASCO VASCONCELOS -ANALISTA,ESCRITOR E JURISTA (Administrador)

Por Vasco Vasconcelos, escritor e jurista. No Ofício editado pela OAB junto ao Egrégio STF faltou mencionar o amparo legal, para questionar providências da alçada do STF. Já está na hora da colenda OAB olhar de fato para este país dando exemplo de transparência e encontrar alternativas humanitárias para reduzir o desemprego assola o país. Isso é Brasil quase 14,0 milhões de desempregados entre eles cerca de 130 mil cativos ou escravos contemporâneos da OAB devidamente qualificados pelo omisso Estado (MEC), jogados ao banimento, sem direito ao primado do trabalho.Há vinte e um anos OAB vem se aproveitando dos governos omissos e covardes para impor o seu fraudulento, concupiscente, caça níqueis exame da OAB. Criam-se dificuldades para colher facilidades. Não melhorou a qualidade do ensino jurídico até porque não atacou as causas e sim as consequências. QUAL O MEDO DO OMISSO CONGRESSO NACIONAL EXTIRPAR ESSE CÂNCER? ABOLIR DE VEZ A ÚLTIMA DITADURA A ESCRAVIDÃO CONTEMPORÂNEA DA OAB? Pelo direito ao primado do trabalho fim urgente dessa excrescência, uma chaga social que envergonha o país dos desempregados. Creio que o próximo ganhador do Prêmio Nobel da Paz sairá pela 1ª vez para o Brasil, entre dezenas de abolicionistas contemporâneos que estão lutando com pertinácia e denodo pelo direito ao primado do trabalho, pelo fim da escravidão contemporânea da OAB, uma chaga social que envergonha o país dos desempregados.
Ensina-nos Martin Luther King ‘Na nossa sociedade, privar um homem de emprego ou de meios de vida, equivale, psicologicamente, a assassiná-lo”. Mire-se nos ensinamentos do Papa Francisco. Já não escravos. Mas irmãos. Menos muros. Mais pontes..

Comentário!

Marcelo-ADV (Outros)

Grande Ministro Fachin, verdadeiramente imparcial.

Parabéns!

Comentários encerrados em 25/04/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.