Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Onipresença capixaba

Deputados do ES são denunciados por cobrar diárias indevidas

O Ministério Público do Espírito Santo denunciou o ex-presidente da Assembléia Legislativa do Espírito Santo, José Carlos Gratz, e o ex-deputado Gilson Gomes por lesar os cofres públicos do estado lançando custos de viagens que não foram feitas. A peça acusatória é assinada pelos promotores Marcelo Zenkner, Cleber Pontes da Silva e Flávio de Souza Santos. Também foi acusado o ex-diretor-geral da Assembléia, André Luiz Cruz Nogueira. Os dois primeiros são apontados pelo MP local como membros da organização parapolicial Scuderie Detetive LeCocq.

Os promotores alegam que os denunciados montaram o chamado “esquema das associações” para cooptar os demais deputados, causando aos cofres da Assembléia Legislativa do Estado do Espírito Santo um rombo superior a 26 (vinte e seis) milhões de reais

Segundo a denúncia, "o parlamentar formulava o requerimento, o segundo requerido [Cruz] providenciava rapidamente sua tramitação e levava ao primeiro requerido [Gratz] que o deferia. E nem se diga que José Carlos Gratz e André Luiz Cruz Nogueira não sabiam que a viagem não se realizava para o destino previsto, pois o deputado requerente, no mesmo dia em que deveria estar em outra cidade, distante centenas de quilômetros de Vitória, se fazia também presente, em situação de onipresença, nas sessões ordinárias e extraordinárias da Assembléia Legislativa do Estado do Espírito Santo, presididas pelo primeiro, conforme explicitam os documentos a esta acostados"

Leia a denúncia:

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA VARA DA ____ FAZENDA PÚBLICA ESTADUAL DE VITÓRIA – COMARCA DA CAPITAL – ES

O Ministério Público do Estado do espírito santo, através dos Promotores de Justiça infra-assinados, em pleno exercício de suas atribuições legais, vem, respeitosamente à presença de V.Exa, com base no artigo 129, inciso III, da Constituição Federal e na Lei Federal nº 8.429/92, propor a presente

AÇÃO POR ATO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA C/C PEDIDO DE RESSARCIMENTO DE DANOS

em face de

JOSÉ CARLOS GRATZ, brasileiro, casado, profissão desconhecida, filho de Selmira Guasti Gratz, natural deste Estado onde nasceu em 13.04.48, portador do CPF nº 173.916.287-00, residente na Rua Joaquim Lyrio, nº 340, apto. 1.201, Praia do Canto, em Vitória;

ANDRÉ LUIZ CRUZ NOGUEIRA, brasileiro, casado, profissão desconhecida, filho de Cezar Augusto Gastin Nogueira e Ana Marizia Cruz Nogueira, CPF 726.647.207-59 e RG 449.540/SSP-ES, residente na Avenida Rio Branco, nº 585, apto. 1301, Santa Lúcia, Vitória;

GILSON GOMES, brasileiro, casado, delegado de polícia e ex-deputado estadual, CPF 252.242.477-72, filho de Ilso Escopelli Gomes e de Thereza Catarina Gomes, residente e domiciliado na Rua Antonio Borges, nº 80, apt. 802, Ed. Grand Bay, bairro Mata da Praia, Vitória, ES.;

Revista Consultor Jurídico, 26 de fevereiro de 2007, 14h59

Comentários de leitores

1 comentário

esses,deputados"em questão"não tem jeito é um c...

Magri (Estudante de Direito)

esses,deputados"em questão"não tem jeito é um casso perdido

Comentários encerrados em 06/03/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.