Consultor Jurídico

Tráfico na Baixada

Justiça nega Habeas Corpus e Edinho continua preso

A Justiça paulista negou nesta quinta-feira (16/6) pedido de liminar para relaxar a prisão do ex-goleiro Edson Cholbi Nascimento, o Edinho, filho de Pelé. A decisão é do desembargador Jarbas João Coimbra Mazzoni, 2º vice-presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo. A Justiça também indeferiu pedido de transferência do ex-goleiro.

Edinho foi preso no dia 6 de junho, sob a acusação de fazer parte de uma quadrilha de tráfico de drogas da Baixada Santista, liderada por Ronaldo Duarte Barsotti de Freitas, o Naldinho, também filho de um ex-jogador de futebol, o Pitico, contemporâneo de Pelé no Santos.

Na última segunda-feira (13/6), o juiz titular da 1ª Vara Criminal de Praia Grande indeferiu pedido de liberdade provisória e de relaxamento do flagrante impetrado a favor de Edinho. A defesa do filho de Pelé alegou, na oportunidade, falta de materialidade das provas.

O ex-goleiro foi preso em seu apartamento em Santos (litoral paulista). O Denarc (Departamento de Investigações sobre Narcóticos) afirma que ele foi flagrado em conversas telefônicas com Naldinho, também preso e apontado como o chefe do tráfico de drogas na Baixada Santista.

No total, 52 pessoas foram detidas durante a operação do Denarc — Departamento de Investigações sobre Narcóticos e 13 delas – incluindo o filho de Pelé – foram autuadas em flagrante por tráfico de drogas, associação para o tráfico e lavagem de dinheiro. Os policiais cumpriram mandados de busca e apreensão em 22 locais da Baixada Santista e da Grande São Paulo.





Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 16 de junho de 2005, 19h25

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 24/06/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.