Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Guerra digital

Hackers atacam sites de Sergipe em protesto ao bloqueio do WhatsApp

Por 

Em represália ao bloqueio do aplicativo WhatsApp, o grupo Anonymous Brasil anunciou que está promovendo uma série de ataques a sites oficiais relacionados ao estado de Sergipe.

Até agora foram afetados os sites do Tribunal de Justiça, da Justiça Federal e do governo estadual. A página da prefeitura de Lagarto, comarca de onde saiu a decisão que mandou bloquear o aplicativo, também saiu do ar.

"Se o WhatsApp ficará bloqueado por 72h, assim será também então com o site do Tribunal de Justiça de Sergipe, em forma de protesto pelos motivos expostos. Não nos calarão", diz a nota publicada na página do grupo no Facebook.

A decisão que determinou a suspensão do aplicativo por 72h, que começou a contar à partir das 14h desta segunda-feira (2/5), foi proferida pelo juiz Marcel Maia Montalvão, da vara criminal de Lagarto (SE).

O mesmo juiz que determinou a prisão do vice-presidente do Facebook na América Latina, o argentino Diego Dzoran. Ele foi preso no dia 1º de março e solto no dia seguinte por decisão do desembargador do Tribunal de Justiça de Sergipe Ruy Pinheiro, que considerou que houve coação ilegal.

As duas decisões estão relacionadas a uma investigação de tráfico de drogas e crime organizado. De acordo com o juiz, a companhia de tecnologia tem ignorado os pedidos da Justiça para apresentar o conteúdo de mensagens trocadas pelo aplicativo por investigados.

Veja a íntegra da nota do Anonymous Brasil:

A ‪#‎OpStopBlocking‬ surge nesse momento como um protesto frente ao bloqueio do WhatsApp determinado pelo juiz Marcel Montalvão, de Sergipe. O juiz determinou a suspensão do serviço de comunicação devido a uma investigação policial de tráfico internacional de drogas. O objetivo para tal atitude pode ser considerado até louvável por alguns, mas essa determinação esconde por trás dois fatores interessantes.

Um deles é da impossibilidade do WhatsApp entregar as conversas descriptografadas para a polícia, devido ao tipo de tecnologia que o aplicativo usa (P2P). Isso já é sabido pelas autoridades há muito tempo, o que nos leva a crer, consequentemente, no segundo fator.

Ficou claro e óbvio que tal medida visa restringir as medidas tomadas em prol da liberdade e da privacidade que os novos meios de comunicação nos trouxeram. O governo está forçando que empresas como o WhatsApp passem a armazenar o conteúdo das mensagens trocadas pelo aplicativo em sua forma plena e clara, restringindo seriamente nossos direitos básicos à privacidade.

Especialistas da área do Direito Eletrônico e de TI dizem que a decisão foi tomada com base no Marco Civil da Internet, que foi supostamente desenvolvido para estabelecer regras claras para o funcionamento da Internet e impedir que esse tipo de medida abusiva de suspensão de serviço fosse praticada. A medida tomada pelo Juiz, no entanto, tem respaldo sim no Marco Civil da Internet.

Se o WhatsApp ficará bloqueado por 72h, assim será também então com o site do Tribunal de Justiça de Sergipe, em forma de protesto pelos motivos expostos.

Não nos calarão.

#Anonymous ‪#‎TangoDown‬ #OpStopBlocking site da Justiça Federal de Sergipe.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 2 de maio de 2016, 16h59

Comentários de leitores

5 comentários

Parabéns ao Juiz!

Gilberto Strapazon - Escritor. Analista de Sistemas. (Consultor)

Ok, apesar de todos questionamentos sobre bloquear a comunicação entre milhões de pessoas que usam a internet através de serviços de empresas que... isto e aquilo e tal e blá-blá-blá...
Enfim...
Parabém por ajudar o país inteiro ver que os sites dos orgãos publicos estão completamente indefesos perante os mais simples ataques.
Então, só para lembrar uma simples lógica: se não consegue cuidar da própria casa, não cutuque os marimbondos ao lado.
Ironia? Um pouco. Ainda falta muito para termos condições de tais reclamatórias e ainda ser capaz de proteger o próprio rabo. (sem ofensas pessoais, apenas estou usando uma figura de linguagem é claro).

Vagabundos!

Flávio Marques (Advogado Autônomo - Criminal)

Bando de marginais repugnantes! Dever-se-ia "quebrar" os ips deles e ir atrás de cada um... E, depois, um bom tempo de preventiva para refletirem sobre o que fizeram!

Ótimo!

btpsilveira (Oficial de Justiça)

Não gosto do Anonymous, mas gosto menos ainda da tendência que se verifica atualmente entre os juízes de querer de qualquer forma seus 15 minutos de fama. Haveria outros meios de compelir a empresa a entregar as conversações (se possível), mas não. Fazem questão de prejudicar 100 milhões de usuários...

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 10/05/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.