Consultor Jurídico

Flagelo brasileiro

Fux assume compromisso de cobrar rapidez para o júri sobre Marielle Franco

O ministro Luiz Fux, presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça, assumiu o compromisso de cobrar rapidez na formação do Tribunal do Júri para julgar os acusados pelo assassinato da vereadora carioca Marielle Franco, ocorrido há três anos.

O assassinato de Marielle Franco
completou três anos no último dia 14
Marcelo Freixo/Flickr-Creative Commons

Durante reunião do Observatório dos Direitos Humanos do Poder Judiciário, nesta terça-feira (23/3), Fux afirmou que o CNJ vai se empenhar para que esse caso seja resolvido o mais rápido possível.

"O Conselho Nacional de Justiça cobrará a realização bastante célere do júri para que apure todos os fatores que influenciaram esse flagelo que ocorreu na política brasileira, que foi o assassinato brutal de Marielle Franco", disse o ministro.

O compromisso foi assumido por Fux após apresentação da viúva de Marielle, Monica Benício, sobre a situação em que se encontra o caso da vereadora, assassinada junto com o motorista Anderson Gomes. Atualmente vereadora no Rio de Janeiro, Monica reafirmou a importância de que ocorram os julgamentos dos acusados pela execução do crime, Ronnie Lessa e Elcio Queiroz. Eles recorreram, mas o juiz responsável pelo processo no Rio de Janeiro manteve a decisão.

A vereadora destacou que a maior preocupação que o caso traz é que existe ainda hoje um grupo no país que utiliza a violência e o assassinato como uma estratégia política. "O mundo exige resposta e o Estado brasileiro tem o compromisso de apresentá-la". Com informações da assessoria de imprensa do CNJ.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 24 de março de 2021, 13h28

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 01/04/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.