Consultor Jurídico

Direitos das mulheres

OAB-SP apoia lançamento oficial do movimento Me Too Brasil

O movimento Me Too, que surgiu nos Estados Unidos, idealizada por Tarana J. Burke, em resposta a denúncias de abuso sexual na indústria cinematográfica, chegou ao país como Me Too Brasil, com a mesma proposta, mas como um braço independente da iniciativa norte-americana.

Divulgação/OAB-SPOAB-SP apoia lançamento oficial do movimento Me Too Brasil

O lançamento oficial ocorreu nesta sexta-feira (25/9), em um webinar via plataforma Zoom, com o apoio da OAB-SP, por meio das Comissões de Diversidade Sexual e Gênero, da Mulher Advogada e de Igualdade Racial. Marina Ganzarolli, presidente da Comissão da Diversidade Sexual e Igualdade de Gênero da OAB-SP, é a idealizadora do projeto.

Em parceria com o projeto Justiceiras, Associação Nacional dos membros do Ministério Público (Conamp), e agência Mega Model Brasil, foi desenvolvida a plataforma com o objetivo de amplificar as vozes das vítimas de abuso sexual, e proporcionar apoio e orientação junto às autoridades competentes.

A OAB-SP se tornou apoiadora na apresentação oficial do Me Too Brasil. "Uma das missões da OAB-SP é a de estar ao lado da sociedade para assegurar o cumprimento da lei. O lançamento do movimento com o respaldo da Ordem paulista ratifica essa premissa, além de ter completa aderência à nossa missão, ao ajudar a cobrir os gargalos da violência sexual perante a Justiça", afirmou Marina.

Foi a primeira vez que todas as mulheres envolvidas no projeto estiveram juntas para apresentar oficialmente o Me Too Brasil. Com informações da assessoria de imprensa da OAB-SP.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 26 de setembro de 2020, 11h21

Comentários de leitores

1 comentário

Comportamento mimético

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

"Tarana Burke (nascida em 12 de setembro de 1973) é uma ativista americana do Bronx, em Nova York, que iniciou o movimento Me Too . Em 2006, Burke começou a usar o metoo para ajudar outras mulheres com experiências semelhantes a se defenderem. Mais de uma década depois, em 2017, #MeToo se tornou uma hashtag viral popularizada por Alyssa Milano quando as mulheres começaram a usá-lo para tweetar sobre as alegações de abuso sexual de Harvey Weinstein . A frase e a hashtag rapidamente se desenvolveram em um movimento de base ampla e, eventualmente, internacional" (https://translate.google.com/translate?hl=pt-PT&sl=en&u=https://en.wikipedia.org/wiki/Tarana_Burke&prev=search&pto=aue).(Fonte Wikipedia).

Como sempre, copiamos tudo que vem dos USA.
Eta povinho brasileiro marreta!!!

Comentários encerrados em 04/10/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.