Consultor Jurídico

Democracia em Vertigem

Policiais expulsam advogado de casa de cliente durante mandado de busca

"Qualquer um faz o curso de advogado. Eu tenho cinco irmãos advogados".

Advogado foi expulso de casa de cliente por policiais na cidade de Porto Velho

Essa foi uma das frases ditas por um dos policiais civis que impediram o advogado Nando Campos Duarte de acompanhar um mandado de busca que policiais do Departamento de Narcóticos (Denarc) de Porto Velho cumpriam na casa do seu cliente. O episódio ocorreu na última quarta-feira (24/6).

Após expulsar o profissional, policiais aos berros também disseram que a prerrogativa dele era restrita à sua atuação na delegacia e o chamaram de “cocô”.

Durante a busca, os policiais afirmaram que encontraram drogas e quiseram obrigar o advogado a assinar um termo como testemunha do que fora supostamente encontrado. Com a negativa do profissional, os agentes começaram a discutir com o profissional, até expulsá-lo do local.

Na delegacia, os policiais afirmaram que o advogado os desacatou e os chamou de “burros”. O advogado nega o fato. O delegado de plantão não deixou o advogado prestar seu depoimento.

Acionada pelo advogado, a OAB-RO enviou o seu secretário-geral da e presidente da Comissão de Prerrogativas, Márcio Nogueira; o diretor executivo da Comissão, Fadrício Silva dos Santos; e o membro da CDP, João Batista Bandeira Júnior, que constataram a violação das prerrogativas do advogado.

Após reunião, a Comissão de Prerrogativas da OAB-RO decidiu preparar uma nota de repúdio e fazer uma representação criminal ao Ministério Público por abuso de autoridade. A entidade também irá prestar queixa à Corregedoria Geral da Polícia Civil e irá enviar um ofício ao governador, ao secretário de Segurança Pública e ao diretor geral da Polícia Civil.

A confusão foi gravada e está disponível no YouTube. Veja:

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 29 de junho de 2020, 21h33

Comentários de leitores

6 comentários

Versão da polícia civil

Jesus Silva Boabaid (Delegado de Polícia Estadual)

http://www.sinsepol.com/2020/06/30/nota-de-repudio-2/

Leiam e comentem.

Olhando para os 2 lados

Fernando Lourenço (Advogado Sócio de Escritório - Família)

Diante da truculência policial, mesmo que o nobre colega tenha, tentado, obstruir o cumprimento do mandado, ou de outra forma, atrapalhar, simples, voz de prisão. Obstrução de Justiça, simples, ou invês de aos trancos e barrancos coloca-lô pra fora. Sendo comigo, represento civil e criminalmente a conduta dos policias.

A versão dos fatos por outra visão

Jesus Silva Boabaid (Delegado de Polícia Estadual)

Nunca é bom se enveredar por uma visão monocular.
vejam o outro lado das partes:
http://www.sinsepol.com/2020/06/30/nota-de-repudio-2/

Bandidos

Mcampos (Administrador)

Os policiais agiram com destempero acredito que Sim, mas o cara que foi preso é bandido traficante tem que pagar pelo que está fazendo e o advogado tem que defender seu cliente na justiça e não enfrentar a policia.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 07/07/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.