Consultor Jurídico

Notícias

Estética nazista

Procuradoria do MPF quer anulação de todos os atos de Roberto Alvim

Por 

A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão encaminhou nesta segunda-feira (20/1) à Procuradoria Geral da República, no Distrito Federal, uma representação com pedido de responsabilização administrativa e criminal do ex-secretário especial de Cultura Roberto Alvim, demitido na última sexta (17).

Joseph Goebbels (à esq.) e Roberto Alvim
Reprodução

O texto tem como base  representação enviada à PFDC que pede a adoção de medidas diante da publicação, do então secretário especial de Cultura, de um vídeo que emula elementos estéticos e narrativos inspirados na atuação do ministro da propaganda nazista Joseph Goebbels.

O documento  também defende a nulidade total de todos os atos administrativos do ex-secretário durante o período em que esteve no comando do órgão público.

"O agente público em questão tem, pelo menos, admiração pela perspectiva de arte do nazismo. E como sob o seu cargo se desenvolviam todas as medidas relativas à cultura, não é demasiado concluir que, no período em que o ocupou, levou para essa área a compreensão estética que tão desabridamente revelou no vídeo", diz trecho do documento.

Clique aqui para ler a representação da PFDC na íntegra

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 20 de janeiro de 2020, 23h52

Comentários de leitores

5 comentários

Palhaçada

Paulo H. (Advogado Autônomo)

Atitudes como esta denigrem a imagem de uma instituição de crucial importância para o país. Dada a aberração jurídica de que se trata não vejo como classificar o fato de outro modo que não seja desvio funcional.

Responder

Tal ato ultrapassa a barreira do ridículo

Silvanio D.de Abreu (Advogado Assalariado - Comercial)

Pergunto-lhes: é para propor este tipo de ação que eles recebem seus polpudos e pontuais salários ?. Se eles propõem tal barbárie em face de um ex-ministro de estado é fácil imaginar o que pode vir acontecer com um simples cidadão. Lamentável. Sem dúvidas são servidores inteligentes que lograram êxito em um concurso público de grande concorrência, mas acredito, que provaram que estão desperdiçando-a com ações desta natureza. Vamos aguardar o desfecho disto tudo.

Responder

Na mosca.

Luiz Adriano Machado Metello Junior (Advogado Autônomo - Civil)

O comentário do colega "olho vivo" não poderia ser mais acertado.

O estrelismo do MP, em recorrentes situações, beira o ridículo.

Responder

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 28/01/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.