Consultor Jurídico

77 anos depois

Aasp elege Viviane Girardi, a primeira mulher presidente da associação

Pela primeira vez, em 77 anos de fundação, a Associação dos Advogados de São Paulo (Aasp) será presidida por uma mulher, a advogada da área de família e sucessões Viviane Girardi, eleita nesta quarta-feira (16/12) por unanimidade pelo conselho diretor da entidade. Foram escolhidos também os demais diretores. Todos assumem suas funções no próximo dia 1º.

Viviane Girardi, presidente eleita da Aasp
Divulgação

A composição da nova diretoria é a seguinte: Viviane Girardi, presidente; Fátima Cristina Bonassa, vice-presidente; Mário Luiz Oliveira da Costa, 1º secretário; Eduardo Foz Mange, 2º secretário; André Almeida Garcia, 1º tesoureira: Paula Lima Hyppolito dos Santos Oliveira, 2ª tesoureira; Silvia Rodrigues Pereira Pachikoski, diretora cultural;  Ruy Pereira Camilo Junior, diretor adjunto e Flávia Hellmeister Clito Fornaciari Dórea, diretora adjunta.

"A advocacia está cada vez mais se feminizando, se tornando uma profissão majoritariamente de mulheres, embora nós tenhamos ainda muita dificuldade em chegar aos cargos de chefia e de poder. Nos grandes escritórios, por exemplo, temos uma massa de 50% a 60% de mulheres formando a estrutura de trabalho, não obstante o número que chega aos cargos de poder seja de 30%", disse após a eleição.

"A Aasp, refletindo o atual momento da sociedade nos últimos anos, reconhece a presença feminina na advocacia, percebe e tem a sensibilidade para o fato do enorme contingente de mulheres associadas e sente que elas precisam estar representadas e reconhecidas, que tenham  espaço, voz e participação. Nós podemos contribuir muito com a visão que temos da sociedade."

Girardi, atual vice-presidente da associação, é doutora em Direito Civil pela USP, mestre em Direito Civil pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e especialista em Direito Civil pela Universidade de Camerino (ITA). Na Aasp, ocupou os cargos de diretora cultural (2015 e 2016); 2ª secretária (2017); 1ª secretária (2018) e vice-presidente (2019 e 2020).

Apesar de a sede ser na capital paulista, a associação está presente em todo o país, conta com cerca de 80 mil associados e é a maior associação de advogados da América Latina.

A eleição
A chapa da situação conquistou um terço do conselho diretor em eleição no último dia 1º, com 930 dos 1.646 votos. As chapas 3 e 2, de oposição, receberam respectivamente 516 e 191 votos.

A eleição aconteceu após polêmica envolvendo transporte para capital paulista, local da votação. O presidente da OAB-SP, Caio Augusto dos Santos, havia anunciado na semana anterior que a entidade contrataria transporte para trazer eleitores do interior e influenciar na eleição. A seccional paulista negou posteriormente.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 16 de dezembro de 2020, 17h37

Comentários de leitores

3 comentários

Novo tempo

Emilio A Paschoal (Advogado Autônomo - Criminal)

AASP prospecta novo tempo com novas perspectivas para a advocacia no Brasil.

Nunca serão!!!

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Se OABSP fosse capaz de prestar serviços equivalentes aos da AASP, a AASP não seria necessária, nem teria demanda.
Vai demorar muito para OAB conseguiir alcançar o mínimo do alto padrão AASP.
Se copiassem a AASP nas subseções, veriam o resultado.
Por ora, cabe à classe bilndar a AASP da voracidade de dirigentes da co-irmã, sob o risco de a AASP tornar-se mais uma das tantas "Casa do Advogado", sem estrutura, sem espaço adequado, sem equipamentos razoáveis.
Querem mostrar aptidão gerencial? Elevem o nível dos serviços OAB ao padrão AASP.
Difícil, não?
Pegar pronta e acabada (AASP) não vale...

Eleição - aasp

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

Uma Doutora foi eleita Presidente.
Mas, isso esconde o fato de que a OAB conseguiu transformar a entidade em um dos seus braços políticos.

Comentários encerrados em 24/12/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.