Consultor Jurídico

Notícias

Sistema Jurídico

Livro em homenagem aos 10 anos de Toffoli é lançado no Supremo

Em homenagem aos dez anos do ministro Dias Toffoli no Supremo Tribunal Federal, será lançado nesta quarta-feira (23/10) o livro “Democracia e Sistema de Justiça”, com a coordenação do ministro Alexandre de Moraes e do advogado-geral da União, ministro André Luiz de Almeida Mendonça.

Reprodução

A obra aborda temas como colaboração premiada, gestão, direitos humanos, desinformação, inteligência artificial, redes sociais e combate à corrupção. Os assuntos são tratados sob a ótica das principais decisões do ministro Dias Toffoli. 

Além dos coordenadores do livro, estão entre os autores dos textos os ministros do Supremo Luís Roberto Barroso e Edson Fachin; os ministros do Superior Tribunal de Justiça Luís Felipe Salomão, Marco Aurélio Buzzi, Mauro Luiz Campbell, Og Fernandes e o corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins.

Ainda assinam outros artigos nomes como o ministro do Tribunal Superior do Trabalho Aloysio Corrêa da Veiga e os secretários-gerais do STF, Daiane Nogueira de Lira, e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Carlos Vieira von Adamek.

Revista Consultor Jurídico, 23 de outubro de 2019, 17h12

Comentários de leitores

5 comentários

O Brasil merece existir?

Neli (Procurador do Município)

O Brasil merece existir? Data vênia! Uma calamidade ver como a pessoalidade impera no Brasil. A elite brasileira não consegue copiar bons exemplos estrangeiros. Imagino um  ministro da suprema corte dos EUA ou da Alemanha sendo homenageado em livro simplesmente por que tem 10 anos de Corte. Muito menos participando de jantares patrocinados por advogados. Os Ministros da Suprema Corte dos EUA são lembrados pelos seus votos históricos. Pela fundamentação profunda. Pela discussão teórica de alto nível. Marshall até hoje é estudado porque proferiu uma decisão que mudou a história do direito. Infelizmente, o Brasil ainda vive os vícios coloniais em que festejar os poderosos era a única maneira de assegurar o próprio quinhão.
Um absurdo! É de causar espécie!
Por outro lado,hoje ocorre
 o Julgamento no STF. Prender ou não em segunda instância?O STF  deveria analisar os Princípios descumpridos pelos Piratas,no butim ao  erário  :legalidade,impessoalidade,moralidade e direitos;processo eleitoral democrático( caixa 2). Nenhum dos Países civilizados, constantemente embasados por eles, os Ministros, tem tantos direitos  para favorecerem os bandidos comuns:Itália, França, Argentina, EUA, México, Japão etc  assegurados na Constituição. Basta olhar o art. 5º incisos XXXVIII "usque" LXVIII e LXXV.Insegurança:igual a impunidade.E nenhum  brasileiro, dito intelectual, percebeu isso.
Qual país tem quatro graus de recurso? Essas jabuticabas jurídicas só dão na República das Jabuticabas, ou melhor, no Brasil!!!
Data vênia.

 

Bananolândia 2

J. Henrique (Funcionário público)

A medalha Pedro Ernesto, esqueci de mencionar.

Bananolândia

J. Henrique (Funcionário público)

Aqui no Rio a câmara de vereadores 'agracia' com a sua principal comenda tantos bandidos (bicheiros, milicianos etc.) que já houve pessoas que recusaram a 'honraria' exatamente para não serem 'colegas de medalhas' de pessoas sem nenhuma qualificação moral, pra dizer o mínimo.
Essa homenagem diminui o prestígio do homenageador, lamento dizer.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 31/10/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.