Consultor Jurídico

Expressão proibida

TJ-SP censura Marcelo D2 por associar Doria às mortes de Paraisópolis

Por 

O cantor Marcelo D2 praticou discurso de ódio ao publicar que o responsável pelas mortes no baile funk em Paraisópolis é o governador João Doria. O desembargador Luiz Antonio de Godoy, do Tribunal de Justiça de São Paulo, acolheu pedido do tucano e determinou censura ao artista, fixando que ele apague publicações de seu Twitter

Publicação de Marcelo D2 censurada pelo TJ-SPReprodução 

Na publicação, o cantor compartilhou uma notícia que mostrava as fotos de todos que morreram e escreveu: "Esses foram os que morreram. O mandante foi o Doria. Agora precisamos saber quem foram os que mataram".

Para o governador tucano, a declaração é discurso de ódio e Marcelo D2 abusou da liberdade de expressão. Em primeira instância, o pedido foi negado. Mas o desembargador Godoy entende que ligar a imagem do governador aos crimes é ato que pode gerar danos sem volta. Por isso, determinou a censura. 

No dia primeiro deste mês, nove pessoas morreram e sete ficaram feridas durante ação de policiais militares para coibir um baile funk na favela de Paraisópolis. Conforme o registro da Polícia Civil, as vítimas foram pisoteadas depois de uma ação de controle de distúrbios civis feitas pela PM com munições químicos.

Clique aqui para ler a decisão




Topo da página

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 12 de dezembro de 2019, 16h59

Comentários de leitores

2 comentários

A cadela do fascismo

Marcos Arruda (Outros - Empresarial)

Os fascistas e suas cadelas vivem nos quarteis e tribunais brasileiros.

A PM responde ao Governador

Nelson Capeleti (Advogado Assalariado - Civil)

O Judiciário e as suas decisões de cunho político.
A polícia militar responde em última instância ao Governador do Estado. O governador do Estado de São Paulo é João Dória.
O Governo do Estado de São Paulo, pela gestão de seu governador tem adotado uma política de letalidade, surfando na onda de "bandido dom é bandido morto", termo da neo-caverna, da (IA) ignorância artificial, como bem leciona o Mestre Lenio Streck.

Evidente que o modo como a polícia age nas periferias é referendado pelo Governo do Estado. Não há nisso qualquer comentário de ódio, mas pura e simples constatação que qualquer néscio alcança pelo método dedutivo.

Comentários encerrados em 20/12/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.