Consultor Jurídico

Notícias

Nove mortos

Defensoria Pública de SP vai acompanhar apuração da tragédia em Paraisópolis

Por 

Nove pessoas morreram pisoteadas durante ação da PM do baile funk do Dz7
Reprodução/Facebook

Por meio de nota oficial, a Defensoria Pública de São Paulo informou que irá se colocar à disposição dos familiares de vítimas fatais da tragédia da favela de Paraisópolis, ocorrida neste domingo (1º/12), na zona oeste da capital paulista.

Nove pessoas morreram e sete ficaram feridas durante ação de policiais militares para coibir um baile funk. Conforme o registro da Polícia Civil, as vítimas foram pisoteadas depois de uma ação de controle de distúrbios civis feitas pela PM com munições químicos.

A Defensoria também vai organizar um plantão para atendimento das pessoas da comunidade e irá analisar medidas cabíveis como pedidos de indenização e de atendimento psicológico.

O Núcleo Especializado de Cidadania e Direitos Humanos da instituição também acompanha outros casos de intervenções policiais em festa de rua que levaram a lesões graves e permanentes.

Nesta segunda-feira (3/12), o Ministério Público do Estado de São Paulo informou que o procurador-geral de Justiça, Gianpaolo Smanio, designou a 1ª promotora de Justiça do 1º  Tribunal do Júri, Soraia Bicudo Simões, para acompanhar as investigações acerca da ação da Polícia Militar na favela de Paraisópolis.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 2 de dezembro de 2019, 17h40

Comentários de leitores

2 comentários

excelente iniciativa

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

excelente iniciativa, parabéns a Defensoria, mas por favor, quando a poeira baixar e a imprensa não mais citar esse caso, provavelmente porque outra tragédia no terá abatido, continuem lá, naquela favela, ops, comunidade há carência gigantesca de exercício de direitos fundamentais, e muitas das pessoas não possuem recursos para se deslocarem até a Defensoria, aliás, uma iniciativa genial seria a criação de núcleos da Defensoria nesses locais, de preferência do lado oposto da PM, para que as pessoas não se sintam constrangidas quando precisarem de auxilio jurídico.

Abuso de Autoridade chegando...

LAFP (Advogado Associado a Escritório - Empresarial)

...depois as guildas entram no STF para revogar as medidas de abuso .... Piada...
ATENAO MINISTRO CELSO DE MELO. MUITA ATENCAO. A MATANCA COM EXCLUDENTES PROPOSTA JA COMECOU... VAMOS VER SE O CONJUR VAI PUBLICAR ESTA MATEIA...? Qdo nao interessa, nao publicam...kkkkk

Ver todos comentáriosComentar