Consultor Jurídico

Notícias

"Gravidade dos fatos"

Sergio Moro manda PF investigar fala de youtuber inexpressivo

ReproduçãoYoutuber que falou de Bolsonaro pode ser responder na lei de segurança nacional.

O ministro da Justiça, Sergio Moro, mandou a Polícia Federal abrir inquérito para investigar um youtuber pelo crime de ameaça. Num vídeo, Vina Guerrero disse que o presidente Jair Bolsonaro "tem que ser assassinado". Para Moro, a declaração é criminosa, se encaixa no tipo penal de ameaça. O ministro também quer a PF enquadre o youtuber na Lei de Segurança Nacional.

O youtuber em questão tem pouco mais de 6 mil inscritos em seu canal, que já teve todo o conteúdo apagado. É um canal inexpressivo, portanto: o 250º maior canal de YouTube do Brasil tem 3,5 milhões de inscritos e mais de 300 milhões de visualizações.

Em despacho desta quarta-feira (7/8), Moro diz que, "diante da gravidade dos fatos", pediu que a PF tome providências "com vistas" à investigação do caso. O ministro pediu que Boslonaro registre a ocorrência do crime de ameaça, para que a investigação possa começar.

Clique aqui para o ofício

Revista Consultor Jurídico, 7 de agosto de 2019, 19h48

Comentários de leitores

9 comentários

Inexpressível ???????

Francisco Zimmermann Junior (Bacharel - Civil)

O Adélio Bispo que esfaqueou Bolsonaro tinha alguma reputação artística, cientifica, intelectual?? nenhuma. Qualquer pessoa que tenha a "coragem" de falar ou de qualquer forma demostrar o interesse em matar o presidente deve ser investigado, a esquerda no Brasil já mostrou que esta disposta aos maiores atos de violência, invadindo até a sua privacidade para garanti-lhes que seus interesses sejam atingidos.

Inexpressividade?

Spitale (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Creio que independentemente da expressividade, o pedido tem, no mínimo, fundamentação legal para seu prosseguimento. Não há qualquer critério de expressividade para que se apure risco ao Presidente da República.
Creio que a matéria é tendenciosa... e muito! A Conjur, a qual sempre dediquei altíssima estima pelos inúmeros textos repletos de conteúdo jurídico valioso, tem GRAVEMENTE se deixado contaminar por ideologias as quais, ainda que necessitem de respeito frente ao regime democrático, não devem ser expressas em opiniões jornalísticas.
Ademais, O Adélio Bispo tinha expressividade? Será mesmo um requisito necessário?
Parabéns ao autor... (sqn)

Pobre

Eduscorio (Consultor)

Conteúdo pobre do artigo, evidenciado a cultura do ódio contra Moro e Bolsonaro. Adepto da tese "hay gobierno, soy contra" CONJUR mais uma vez distorce fatos.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 15/08/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.