Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Incômodo eletrônico

Tornozeleira estigmatiza acusado, diz juiz ao suspender uso de equipamento

Por 

O monitoramento eletrônico só se justifica em casos extremos, pois a tornozeleira rotula e estigmatiza o acusado antes mesmo de haver uma sentença que o condene. A afirmação é do juiz Marcos Faleiros da Silva, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, ao afastar o uso do equipamento por um fiscal da Receita acusado de participar de um esquema de fraude contra o Fisco. 

O réu foi preso durante a operação policial, mas solto em seguida. Contra ele, foram aplicadas medidas cautelares, como a proibição de ir até a Secretaria de Fazenda estadual e sair do país, comparecer em juízo mensalmente, entre outras medidas. O Ministério Público Estadual defendia a manutenção do monitoramento para fiscalização das cautelares, assegurar a aplicação da lei penal, conveniência da instrução processual e garantia da ordem pública.

A defesa do acusado, feita pelos advogados Valber Melo e Filipe Broeto, demonstrou que ele não coloca em risco as investigações. Afirmaram também que o agente tributário sofre constantes indagações sobre o objeto.

“Não é função das cautelares obter finalidade de pena ou impingir castigo antecipadamente, visto a sua natureza jurídica que é a cautelaridade. Com efeito, observo que as outras medidas cautelares fixadas pelo Tribunal de Justiça são suficiente e adequadas ao acusado que está em liberdade e não demonstrou que há interesse em se furtar da aplicação da lei penal, não obstruiu criminal e vem comparecendo em juízo regularmente”, disse o juiz.

Processo 11296-17.2017.811.0042

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 7 de março de 2018, 15h42

Comentários de leitores

17 comentários

Reservista, Zap 061-98611-8470 SGT Vidal

Rejane Guimarães Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

A legítima defesa é uma garantia constitucional. Dentro dos limites da Lei. Pessoas treinadas e testadas conhecem o assunto. Convocação aos reservistas.

Meu palpite

Palpiteiro da web (Investigador)

Para não estigmatizar o criminoso, eu penso que devemos REVOGAR POR INTEIRO O CÓDIGO PENAL E TODAS AS LEIS PENAIS EXTRAVAGANTES.

e as vítimas?

George (Advogado Autônomo)

criminoso estigmatizado?
solto e sem tornozeleira?
e as vítimas dos criminosos ficam sem justiça ?
inversão total de valores!
"é o poste mijando no cachorro"

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 15/03/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.