Consultor Jurídico

Direito na Europa

Por Aline Pinheiro

Blogs

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Técnica de controle

Inglaterra vai ensinar meditação para ajudar preso violento a se acalmar

Cerca de 60 presos na Inglaterra vão receber aulas individuais de meditação como uma tentativa de acalmar os ânimos. Presídios de segurança máxima no país estão apostando na tradição budista para ajudar a conter o lado agressivo dos condenados mais violentos. A iniciativa foi divulgada pelo jornal britânico The Guardian. Segundo a publicação, não há uma política nacional sobre o assunto, mas uma tentativa das instituições carcerárias de acelerar a reabilitação de condenados como um homem preso por duplo assassinato e mandado para um presídio de segurança máxima depois de agredir e machucar cinco carcereiros por estar insatisfeito com a porção de pão recebida.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 21 de outubro de 2015, 10h51

Comentários de leitores

2 comentários

Meditação vai além de acalmar os ânimos

ABSipos (Advogado Autônomo)

A utilização da meditação como forma de pacificar condenados está sendo utilizada em alguns lugares do mundo, com resultados impressionantes e sem paralelo.

Cito Índia e EUA, onde já existem programas assim. Recomendo o documentário "The Dhamma Brothers" que mostra o poder da meditação na vida de condenados em um presídio de segurança máxima nos EUA.

Como o Dalai Lama atual disse uma vez, se todos meditassem alguns minutos por dia, não existiriam guerras no mundo.
A meditação vai na raiz, na causa dos crimes, que são as insatisfações, traumas e sofrimentos de cada um de nós, trazendo isso a tona e tornando possível pacificar e dissolver essas dores comuns a todos os seres humanos.

Se a moda pega....

carlmarx (Estudante de Direito)

Naturalmente que a idéia é formidável, porém, ainda não temos nem uma cela adequada para os presidiários. Vamos passo a passo resolver esse problema.

Comentários encerrados em 29/10/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.