Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Fogo amigo

Youssef questiona por que ex-sócio ficou fora de denúncias do MPF

Por 

A defesa de Alberto Youssef cobra que o Ministério Público Federal apresente denúncia contra Leonardo Meirelles, ex-sócio do doleiro e dono do laboratório Labogen. Em documento protocolado na Justiça Federal nesta quarta-feira (4/2), Youssef reclama que o antigo parceiro confessou ter feito lavagem de dinheiro e enviado valores ao exterior, mas mesmo assim “goza de vários privilégios”, ficando fora de acusações do MPF.

A petição aponta a existência de um “acordo branco” para beneficiar “um criminoso confesso” que oficialmente não firmou nenhum termo de colaboração premiada. “Evidente que Meirelles está sendo contemplado com benefícios de ordem processual e penal obtendo o beneplácito de depor somente sobre o que interessa à acusação e silenciar quando lhe convém”, afirma o advogado Antonio Figueiredo Basto, que assina o documento.

As críticas são uma resposta a recentes declarações feitas por Meirelles à imprensa. Em entrevista à Folha de S.Paulo publicada no dia 1º, ele disse que Youssef (foto) não declarou todo seu patrimônio no acordo de delação premiada.

Para Figueiredo Basto, o ex-sócio de seu cliente agiu “de forma leviana”, sem ter provas. “Sua intenção é tumultuar a investigação, criar factoides e explorar o clamor popular para desacreditar a investigação”, diz o advogado. Ele também pede que a Polícia Federal e o MPF investigue se alguém pode ter se associado a Meirelles para atrapalhar os processos da “lava jato”.

Clique aqui para ler a petição.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 4 de fevereiro de 2015, 15h47

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 12/02/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.