Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Discutindo a relação

Advogados e jornalistas debatem julgamento do mensalão

Até que ponto a imprensa interferiu no julgamento dos acusados da Ação Penal 470, o processo do mensalão? Os veículos de comunicação induziram a opinião pública ou vocalizaram o sentimento popular? Essas e outras questões serão debatidas na próxima segunda-feira (11/11), na Sala dos Estudantes da Faculdade de Direito da USP, em dois horários: a partir das 9h e a partir das 19h.

A primeira mesa será coordenada pelo professor Pierpaolo Cruz Bottini e reunirá os jornalistas Mônica Bergamo (Folha de S.Paulo), Fausto Macedo (Estado de S. Paulo) e Bob Fernandes (Terra Magazine), mais os advogados José Luís de Oliveira Lima e Renato Silveira — este também professor da USP.

No evento da noite estarão os jornalistas Otávio Cabral (Veja), Marcelo Coelho (Folha de S.Paulo), o professor e advogado Alexandre de Moraes, mais o criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay. A mesa será coordenada por Márcio Chaer, do site Consultor Jurídico.

Para Pierpaolo Bottini, o momento é oportuno para o debate. “O julgamento que vamos discutir foi um fenômeno em termos de repercussão”, diz o professor. “A imprensa, de certa forma, atuou como protagonista do processo. Acredito que, passado o momento mais alvoroçado, já se pode discutir o assunto com mais serenidade”. Bottini atuou no julgamento, como advogado do político Professor Luizinho, que foi absolvido.

Na opinião de Márcio Chaer, a cobertura jornalística teve momentos de campanha pública pela condenação dos acusados. “Os órgãos de comunicação aplicaram a Lei de Lynch defendida pela população. É preciso saber se esse momento foi diferente do que o país viveu no impeachment de Collor ou no das ‘Diretas Já’. Mas é preciso diferenciar o que é primado da política do que deve ser o primado da Constituição”.

Não é preciso fazer inscrição para o evento. A Faculdade de Direito da USP fica no Largo São Francisco, no centro da capital paulista.

Revista Consultor Jurídico, 8 de novembro de 2013, 15h38

Comentários de leitores

1 comentário

A imprensa e o sujeito

Zé Machado (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Aquele sujeito que lidera a turba gritando: "lincha, lincha! A imprensa por ter o objetivo de vender, nem observa os direitos dos cidadãos, que somente o órgão do Estado vivo, o juiz, é que deve observar, como fez o sapiente ministro Barroso.

Comentários encerrados em 16/11/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.