Consultor Jurídico

Meta cumprida

Rio de Janeiro desativa todas carceragens em delegacias

A Secretaria de Segurança Pública do estado do Rio de Janeiro desativou todas as 20 carceragens de suas delegacias entre maio de 2011 e junho de 2012. A medida atende às recomendações do Conselho Nacional de Justiça, feitas, inicialmente, em 2010, e reforçadas durante o mutirão carcerário promovido no ano passado.

A desativação das carceragens de polícia de todo o país foi uma das metas apresentadas pelo CNJ durante o 3º Encontro Nacional do Judiciário, organizado em fevereiro de 2010, quando se registrava uma superlotação de 56,5 mil presos em delegacias. Para que a meta fosse alcançada, foi iniciada articulação entre o CNJ, o Ministério da Justiça e os governos estaduais.

O delegado Sérgio Simões Caldas, subchefe administrativo da Polícia Civil do Rio de Janeiro, afirmou que o envolvimento do CNJ foi decisivo para a solução do problema. “A participação do CNJ foi fundamental, pois com ela a Polícia Civil estreitou a relação com todas as instituições diretamente ligadas ao assunto, como o Tribunal de Justiça, a Defensoria Pública e Secretaria de Administração Penitenciária.”

Ao falar sobre os resultados positivos, Sérgio Caldas lembrou que em 2009 o estado chegou a ser denunciado à Comissão Interamericana de Direitos Humanos por causa de violações verificadas na carceragem do bairro de Neves, no município de São Gonçalo. “Hoje, graças ao esforço que fizemos, a situação é totalmente diferente”, garante.

O coordenador nacional dos mutirões carcerários, juiz Luciano Losekann, comemorou os resultados obtidos. “É absolutamente positiva a medida tomada pelo Rio de Janeiro. A desativação das carceragens das delegacias de todo o país é desejada não só pelo CNJ, mas também pela Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (Enasp), que estabeleceu a Meta Zero, relativa ao compromisso de desativação dessas carceragens". Com informações da Assessoria de Imprensa do CNJ.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 18 de julho de 2012, 19h11

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 26/07/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.