Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Versão dos fatos

Juiz barra entrevista de Cachoeira para jornal

O juiz da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, Bruno André Silva Ribeiro, negou pedido de autorização de visita do jornal Folha de S. Paulo ao interno Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira. A intenção do jornal, com o pedido, era entrevistá-lo. Embora a decisão tenha sido tomada no caso concreto, ela é extensiva para todos os veículos de comunicação, de acordo com a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça do Distrito Federal.

O juiz afirmou que a Lei de Execuções Penais — também aplicável aos presos provisórios — prevê que é direito do custodiado a entrevista pessoal e reservadamente com seu advogado assim como receber visitas de seus familiares. Para ele, os pedidos de autorização para ingresso nos estabelecimentos prisionais devem ser, excepcionalmente, deferidos quando o interesse público é evidente.

Segundo o juiz, o interesse público "vem sendo devidamente observado pela Justiça, valendo o registro de que se encontram em trâmite duas ações penais, (...) oportunidade em que certamente será garantido ao preso o direito de dar a sua versão dos fatos, garantidos a ampla defesa e o contraditório”.

Apesar da anuência do preso em conceder a entrevista, ao lado da mulher e sem algemas, para o juiz "nada justifica a sua escolha pontual por um veículo específico da imprensa, (...), especialmente enquanto recluso e sob responsabilidade da Justiça". Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-DF.

Revista Consultor Jurídico, 17 de julho de 2012, 10h53

Comentários de leitores

17 comentários

Não tem nenhum advogado jornalista aí

andreluizg (Advogado Autônomo - Tributária)

Acho que o Brasil quer ouvir o que ele quer falar. O cara é culpado de tudo, e todos que tem algum grau de associação com ele são massacrados pela opinião pública. Garanto que poucas pessoas sabem dizer quais são os crimes dele, ou até mesmo se merece tanto tempo de encarceramento provisório.

Tem gente aí com bola de cristal?

Elza Maria (Jornalista)

Ô Casteglione, você é vidente ou tem bola de cristal? Como é que pode afirmar que a imprensa é pró-bandido? Quanto atrevimento, menino! A menos que você tenha conhecimento do que seria perguntado e das respectivas respostas, seu comentário é oco. Ele sim, é sensacionalista! Só há um meio de a sociedade saber o que o bicheiro tem a dizer, e é ouvindo o que ele quer dizer. E se ele revelar publicamente coisas que interessam à sociedade, como, por exemplo, seus comparsas do mais alto escalão da república, ou coisas que podem modificar o rumo das investigações e das acusações que hoje são divulgadas contra ele como se ele fosse o Dom Corleone de Goiás?! E se ele não passar de um grande laranjão?! A imprensa transformou a ele e ao caso inimigos número 1 da sociedade. Tudo o que disser respeito a ele ou que ele possa dizer sobre o que o envolve, é de interesse público e deve ser divulgado. Quem define o interesse público? O juiz, o tribunal ou a sociedade? Deixa de fanfarronice, rapaz. Seja coerente. Agora, se você tem bola de cristal ou é vidente, me diga quais números devo apostar para ganhar na Mega-Sena sozinha quando estiver acumulada, tá!

Glamourização do Criminoso

Casteglione (Serventuário)

Só falta a imprensa dizer que a vedação da entrevista e de sua veiculação na mídia é cerceamento de defesa. Querem glaumorizar, fazer apologia de marginal de uma abjeta célula do crime organizado do País ou informar o leitor ? Imprensa sensacionalista e pró-bandido.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 25/07/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.