Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Voo direto

Lituana presa em Porto Alegre é condenada por tráfico

Por 

A juíza Salise Monteiro Sanchotene, da 2ª Vara Federal Criminal de Porto Alegre, condenou nesta sexta-feira (29/6) uma cidadã lituana à pena de seis anos, três meses e 25 dias por tráfico internacional de drogas, em regime inicial fechado. A audiência realizada para interrogatório da acusada, Irina Zurkelis, teve o auxílio de uma tradutora do idioma russo. Também foram ouvidos como testemunhas dois policiais que atuaram no caso. A Ação Penal teve a duração total de quatro meses.

A lituana foi presa por agentes da Polícia Federal no Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, no dia 4 de fevereiro deste ano, quando desembarcava de um voo vindo de Lima, no Peru. Ela trazia na mala seis quilos de cocaína. O destino final da passageira seria a Europa. A droga estava escondida no forro de quatro pastas de couro e foi detectada, inicialmente, pelo aparelho de raio-x e, logo após, em exame de narcoteste feito pelos agentes no próprio aeroporto.

Em seu depoimento, Irina disse que havia sido contratada por conhecidos em Madrid, capital da Espanha, para fazer a viagem até o Peru, com o objetivo de buscar uma mercadoria e transportá-la até a Europa. Em troca, receberia um pagamento que, segundo afirmou na audiência, serviria para custear sua sobrevivência e os estudos do filho em Londres, onde vivem os dois.

O procurador da República da 4ª Região Rodrigo Valdez de Oliveira destacou em suas alegações que esse tipo de transporte, nas bagagens de passageiros tidos como turistas, é uma das principais formas de ingresso no continente europeu de drogas produzidas na América do Sul. Afirmou também que aumentou muito a participação do estado nessa rota do tráfico a partir da criação de voo direto de Porto Alegre para Lisboa, há pouco mais de um ano.

Ao proferir a sentença, no final da audiência, a juíza Salise Sanchotene destacou o caráter preventivo da pena aplicada, tendo em vista a existência de outros casos semelhantes ocorridos no Aeroporto Salgado Filho nos últimos meses, alguns deles com Ação Penal também em tramitação 2ª Vara Federal Criminal. Na defesa da cidadã lituana atuou o defensor público federal Fábio Carboni Ceccon. Com informações da Assessoria de Imprensa da Justiça Federal do RS.

Clique aqui para ler a sentença.

 é jornalista.

Revista Consultor Jurídico, 1 de julho de 2012, 7h51

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 09/07/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.