Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Prova em vídeo

Tribunal suspende temporariamente juiz que bateu em filha no Texas

Por 

O vídeo no YouTube de um juiz texano batendo com um cinto em sua filha rendeu-lhe uma punição administrativa. Na terça-feira (11/22), a Suprema Corte do Texas suspendeu temporariamente, com rendimentos integrais, o juiz William Adams, de uma vara de família do estado, até que o caso seja julgado pela Comissão Estadual para a Conduta Judicial. Segundo a decisão da Suprema Corte, o juiz concordou com a recomendação de suspensão temporária, feita pela Comissão, dispensou os requisitos de audiência e notificação, mas não admitiu "culpa, erro ou transgressão", em relação às alegações, noticiam o HoustonPress, o Daily Mail e outras publicações.

O vídeo, feito secretamente em 2004 pela filha mais velha do juiz, Hillary, então com 16 anos, quando o pai a pegou fazendo downloads considerados ilegais de músicas e jogos, "provocou uma tormenta mundial", diz o Houston Press. Até o início da tarde desta quarta-feira, o vídeo de 7 minutos, colocado no Youtube por Hillary em 27 de outubro, teve quase 6,5 milhões de vezes. Outras centenas de reproduções, com títulos e textos em diversos idiomas, foram postadas no YouTube.

Em seu vídeo, Hillary, agora com 23 anos, escreveu que, em 2004, o juiz William Adams "bateu com um cinto em sua própria filha adolescente como punição por usar a internet para conseguir músicas e jogos que, à época, não estavam disponíveis para compra legal". E acrescenta: "Ela sofre de paralisia cerebral atáxica desde o nascimento, o que a levou à paixão pela tecnologia, que era estritamente proibida pela visão retrógrada de seu pai. A mulher do juiz foi abusada emocionalmente e foi gravemente manipulada para ter de assistir ao espancamento e não tem qualquer culpa pelo conteúdo deste vídeo. A mulher do juiz, desde então, deixou o casamento, por causa do abuso, situação que persiste até hoje, e se desculpou sinceramente e se arrependeu por não ter impedido que isso acontecesse, bem antes deste vídeo se tornar público. O juiz William Adams não tem qualquer condição de integrar o sistema judiciário, porque não faz julgamentos adequados nem mesmo como pai. Não permitam que esse homem seja reeleito mais uma vez. Seu ‘julgamento’ é uma farsa gigante. Assinado, Hillary Adams, sua filha".

A suspensão foi decidida um dia depois de o juiz ter ido a um tribunal para contestar uma decisão judicial sobre a custódia de sua filha de 10 anos. Na semana passada, a justiça concedeu a sua ex-mulher uma liminar que efetivamente, segundo o advogado dela, proíbe o juiz de visitar a filha mais nova. A liminar determinou que ele não pode ver a filha menor sem permissão expressa da mãe. E, se obtiver a permissão, não pode menosprezar a ex-mulher, nem tomar bebidas alcoólicas por um período de 24 horas, antes e durante a visita.

 é correspondente da revista Consultor Jurídico nos Estados Unidos.

Revista Consultor Jurídico, 24 de novembro de 2011, 6h01

Comentários de leitores

2 comentários

juiz bate em filha.... filha q bate no pai-juiz ?!

mantoniogs (Advogado Autônomo - Administrativa)

Não vi o vídeo.... Ressalto em especial a preocupação da Corte estadunidense com a legitimidade de um magistrado das relações familiares. Isso vale a pena.Lá nos EEUU os juízes são em maioria eleitos, pode ser até q cresça o eleitorado desse senhor. A atitude da filha, q em 2004, teria supostos 16 anos, hj 23, pareceu estranha. Coisa do rebelde sem causa. Ao Tribunal americano, q teve sua imagem arranhada, tudo a ver a punição. Muito embora nem sempre considere a prática condenável. Não espanta mais ninguém, por outro lado, a filha que bate no pai-juiz, isso nem seria notícia afinal.... tempos estranhos...

Bem feito.

Diogo Duarte Valverde (Advogado Associado a Escritório)

O que esse juiz fez à sua filha foi cometer uma brutalidade criminosa. Deveria estar é na cadeia, não na cadeira de um magistrado, julgando casos. Esse aí não está apto para julgar nem concurso de melhor pudim. Ninguém tem o direito de fazer o que ele fez.

Comentários encerrados em 02/12/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.