Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Caso Abdelmassih

Polícia diz que médico foragido pode estar no Líbano

Quatro meses depois da fuga, policiais que participaram das buscas pelo médico Roger Abdelmassih, de 67 anos, acreditam que ele pode estar no exterior. Para a Polícia de São Paulo, o foragido embarcou para o Líbano usando um passaporte falso conseguido no Uruguai. O problema, aponta, é que o Brasil não possui tratado de extradição em vigor com o país. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Na prática, a falta de um tratado nesse sentido dificulta uma eventual prisão de Abdelmassih. Ou seja, mesmo que venha a ser preso pela Interpol, por exemplo, o Líbano pode negar a entrega do foragido brasileiro. Apesar de um tratado ter sido assinado em 2002, apenas o lado brasileiro ratificou o acordo.

A prisão do médico havia sido decretada em 17 de agosto de 2009 pelo juiz Bruno Paes Stranforini, da 16ª Vara Criminal paulista. No mesmo ano, em 24 de dezembro, o ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, concedeu Habeas Corpus para revogar a prisão preventiva. Em fevereiro deste ano, a 2ª Turma do STF suspendeu a liminar dada por Gilmar Mendes, por 3 votos a 2.

A prisão do médico já tinha sido decretada novamente no final de 2010, pela juíza Kenarik Boujikian Felippe, da 16ª Vara Criminal paulista. Na época, a Polícia Federal informou que o médico tentava renovar seu passaporte. Segundo o advogado José Luís de Oliveira Lima, um dos defensores do médico, ele tentava apenas renovar o documento, o que é permitido por lei. Os policias fizeram busca em uma propriedade em Avaré, interior de São Paulo, e também em uma clínica da capital, mas não obtiveram sucesso.

Abdelmassih foi condenado a 278 anos de prisão por ter estuprado ou violentado 37 mulheres entre 1995 e 2008. Todas elas eram pacientes e funcionária de sua clínica de reprodução. O médico teve o registro profissional cassado.

Revista Consultor Jurídico, 18 de abril de 2011, 10h36

Comentários de leitores

20 comentários

Pedido de Cooperação Judiciária Internacional

DIDI (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Pode até ser que não tenha um tratado de extradição, mas o Brasil ainda pode fazer um pedido de cooperação judiciária internacional Não pode esse bandido ficar impune. Parece aquele caso do Marcelo Bauer. Esse homem idoso, merece sofrer com a prisão. Estuprou mulheres inocentes que só nutriam o desejo de serem genitoras, um instinto natural da mulher. Abdelmassih deve ser codenado pelo seus delitos. Chega de injustiças nesse país. Mova-se poder judiciário brasileiro!!!

EM TERRA DE OLHO, QUEM TEM CEGO..... ERREI !

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

Sr. Olho Vivo. Com todo respeito as besteiras que escreveu, lhe pergunto: que Constituição o Sr.defende ? E, se a defende, quais os artigos devem ser considerados nessa defesa ? Só o art. 5º e seus infindáveis incisos ? O Sr. já leu efetivamente toda a Carta que diz conhecer ? Sabe o que ela representa (na prática) ? Sabe quais os motivos que levaram os seus idealizadores a imprimirem nela tantos absurdos quantos o Sr. se arvora avalizar ? O Sr. realmente entende do que está falando ? Conhece a solução ou apenas faz parte do problema ? Que tal repensar o curso que escolheu e a 'facul' em que estuda(ou), antes de vir regugitar abobrinhas neste painel.

Prender todos

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Sugiro que se faça assim. Contratemos a Argentina, o Paraguai e a Bolívia para mantermos todos nós Brasileiros presos. Assim, não há risco de ninguém fugir do País quando processado criminalmente. Resta só saber quem vai pagar nossos "hermanos" enquanto todos os 190 milhões de brasileiros estiverem presos.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 26/04/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.