Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Teste do bafômetro

Juiz atropela, arrasta e mata motoqueiro

Um motociclista morreu ao ser atropelado e arrastado por mais de 100 metros por um carro guiado pelo juiz Aristófanes Vieira Coutinho Júnior, na madrugada desta segunda-feira (4/4), em Fortaleza (CE). O juiz fez o teste de bafômetro e o resultado foi positivo. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

O acidente aconteceu na avenida Washington Soares, uma das mais movimentadas da cidade, e de acordo com informações da Polícia Rodoviária Estadual, a vítima foi socorrida, mas morreu a caminho do hospital.

Segundo o coronel Túlio Studart, comandante da Polícia Rodoviária, a carteira de habilitação de Coutinho Júnior foi apreendida, e ele foi multado, mas não foi autuado em flagrante devido à sua "condição de juiz" e porque, no momento em que foi levado para a delegacia, não se sabia da morte do motociclista.

A Polícia Civil encaminhou o processo para a Procuradoria Geral de Justiça, e o Tribunal de Justiça do Ceará informou que o juiz se apresentou ao presidente do TJ, desembargador José Arísio Lopes da Costa, que está adotando providências para a "instauração dos procedimentos legais cabíveis".

Procurado, o juiz não foi encontrado para comentar o caso. Segundo a assessoria de imprensa do TJ, ele "está muito abalado, sem condições de dar entrevistas".

Leia abaixo a nota do TJ-CE sobre o caso:

O Tribunal de Justiça do Ceará lamenta o triste episódio envolvendo o juiz de Direito Aristófanes Vieira Coutinho Junior, que na madrugada desta segunda-feira (4/4) se envolveu em acidente de trânsito, que vitimou Henrique da Silva de Maria.

O magistrado se apresentou nesta manhã ao presidente do Tribunal, desembargador José Arísio Lopes da Costa, que está adotando providências visando à instauração dos procedimentos legais cabíveis. Tudo de acordo com a Lei Orgânica da Magistratura Nacional (Loman) e disposições previstas no Código de Processo Penal Brasileiro. 

Revista Consultor Jurídico, 4 de abril de 2011, 19h15

Comentários de leitores

24 comentários

Inveja ?

Le Roy Soleil (Outros)

Desculpe, mas não consigo ter inveja de você. Nem de você, nem de nenhum outro juiz. Só consigo ter inveja do Bill Gates e do Eike Batista.

Acidente

magi-mg (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Caros comentaristas,
Somente agora, depois de um dia estafante de trabalho, mais de 10 sentenças prolatadas, e várias audiências realizadas, tomei conhecimento das inúmeras manifestações sobre o meu comentária.
Para alguns comentaristas mais educados, informo que não defendo a impunidade, ao contrário, na minha visão, se embriagado o colega, devemos analisar se não é o caso de dolo eventual. Com punição conforme determina a lei e depois o devido processo legal.
O meu comentário se limitou a constatar que tudo que acontece de negativo em torno da figura do juiz, vira notícia imediatamente e sem a menor preocução com o príncípio da não-culpabilidade. Só isso.
Aos comentaristas mal educado e invejosos, o meu desprezo.
Boa noite a todos.

AO SR(A) MAGI-MG

ELISBERG (Outros)

Claro que o juiz também é um ser humano e também é passível de erros como qualquer outro humano. Veja bem: um acidente de trânsito não é lá coisas do outro mundo até mesmo porque acontece a todo minuto neste Brasil afora. Agora, embriagues ao volante... isto sim, é condenável para uma pessoa que, embora humano quanto tantos outros, deva dar exemplos à sociedade e não o contrário. Não é isso que ocorre com policiais, etc??? Espero punição severa!!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 12/04/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.