Consultor Jurídico

Abusos descritos

Corte de Haia aceita vídeos contra ex-presidente da Libéria

Por 

A Corte Internacional de Haia, na Holanda, vai aceitar vídeos no julgamento do ex-presidente da Libéria, Charles Taylor. Nos vídeos, as vítimas descrevem como foram abusadas sexualmente ou tiverem partes do corpo amputadas por guerrilheiros. As informações são do site Finldaw.

Os três juízes do caso repeliram protestos dos advogados de defesa de Taylor e decidiram que os vídeos podem constituir prova, sobretudo na tentativa de se indicar que tais abusos e amputações ocorriam contra pessoas que habitavam territórios repletos de minas de diamantes.

Na terça-feira (8/1) foram mostrados, no julgamento, números indicando que Charles Taylor extraía, por ano, entre US$ 60 milhões e US$ 125 milhões em diamantes. E que os abusos sexuais e amputações eram uma forma de apavorar os habitantes para que abandonassem suas terras nesses campos de diamante.

Taylor, de 59 anos de idade, é acusado de crimes de guerra e contra a humanidade. Ele responde por assassinatos, estupros e mutilação de milhares de pessoas na guerra civil de dez anos em Serra Leoa, terminada em 2003. O julgamento foca-se em 11 acusações de assassinato e arregimentação de soldados menores de idade. Taylor é o primeiro chefe de estado africano a encarar um tribunal internacional.




Topo da página

 é repórter especial da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 9 de janeiro de 2008, 14h27

Comentários de leitores

1 comentário

Essas cortes internacionais são ótimas! Ou n...

Luís da Velosa (Bacharel)

Essas cortes internacionais são ótimas! Ou não?!

Comentários encerrados em 17/01/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.