Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Trabalho em equipe

Repórter filmou reunião de assessores de Dantas com delegados

Além da Abin, a TV Globo também trabalhou na operação para caçar o banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity. Ela foi conduzida pelo delegado da Polícia Federal, Protógenes Queiroz, e pelo ex-diretor da Abin e da PF e agora adido policial, Paulo Lacerda. Pelo menos é o que informa, nesta terça-feira (30/12), o colunista Janio de Freitas, da Folha de S.Paulo Clique aqui para ler (só assinantes do UOL ou Folha)

Segundo o jornalista, um cameraman da TV Globo foi identificado como o autor da gravação de reunião no qual participaram os delegados Protógenes Queiroz e Victor Hugo, o professor Hugo Chicaroni e o ex-diretor da Brasil Telecom, Humberto Braz. O encontro aconteceu no dia 18 de junho deste ano no restaurante El Tranvia, em São Paulo.

Antes da reunião, o cameraman foi ao banheiro do restaurante para testar o equipamento. A gravação mostra a imagem do profissional refletida no espelho. A reunião desse dia não foi exibida na reportagem da TV Globo conduzida pelo repórter César Tralli. Para Janio de Freitas, a gravação “ao ser reexaminada na nova investigação do caso, proporcionou uma revelação surpreendente e cômica”.

A reunião também não é lembrada nem no relatório da PF e na denúncia do Ministério Público Federal no processo em que Dantas, Braz e Chicaroni foram condenados por tentativa de suborno pelo juiz Fausto Martin de Sanctis, da 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo. Segundo a decisão, o grupo de Dantas ofertou R$ 1 milhão ao delegado Victor Hugo para livrar ele, sua irmã e seu filho da investigação. Em entrevista ao programa Roda Viva, Protógenes afirmou que a gravação foi feita por um operador da PF.

As imagens que ficaram famosas depois de exibidas pela TV Globo foram da reunião do dia seguinte, na qual Protógenes não estava — Clique aqui para assistir o vídeo. No mesmo restaurante, estavam presentes apenas Chicaroni, Braz e Victor Hugo. Dias depois, o delegado Victor Hugo e Hugo Chicaroni voltaram a se reunir no restaurante Padock, em São Paulo.

Quando a Operação Satiagraha foi deflagrada em julho, a atuação da TV Globo chegou a ser questionada porque o repórter César Tralli soube com antecedência que a PF cumpriria mandados de prisão e de busca e apreensão nas casas de Dantas, do empresário Naji Nahas e do ex-prefeito Celso Pitta. O ex-prefeito inclusive foi filmando de pijamas. Chegou-se aventar na época a possibilidade do repórter depor na Polícia Federal, o que acabou não acontecendo.

Perícia dos áudios

Laudo pericial do Instituto Brasileiro de Peritos em Comércio Eletrônico e Telemática, feito a pedido de Dantas, mostra os detalhes da reunião do dia 18 de junho. Ao chegarem ao restaurante, Protógenes Queiroz apresenta Hugo Chicaroni ao delegado Victor Hugo.

Hugo Chicaroni: Meu chará, você é Hugo também.

Victor Hugo: Hugo também, Victor Hugo. Prazer! Famoso que o Queiroz tanto fala

Depois de comerem, Victor Hugo oferece uma carona a Chicaroni.

Victor Hugo: Você esta de taxi?

Hugo Chicaroni: eu vim de taxi

Victor Hugo: Ah, vamos com a gente de carona

Minutos depois a conversa prossegue:

Victor Hugo: Ô Queiroz!

Protógenes Queiroz: Oi?

Victor Hugo: Ô Queiroz! Vamos com a gente, eu te deixo lá, é rapidinho. Bate e volta. Cê tá com o... o ticket, te dei, aquele amarelinho.

Protógenes Queiroz: Aquele amarelo

Victor Hugo: É

Em outro trecho, Protógenes continua a conversar com Chicaroni:

Hugo Chicaroni: Ô Queiroz, será que eu consigo atualizar meus portes lá...

Protógenes Queiroz: Tranqüilo,

Hugo Chicaroni: ...Brasília

Protógenes Queiroz: Deixa acabar essa confusão

Hugo Chicaroni: Hã...

Protógenes Queiroz: E ai... tem até outros projetos

Revista Consultor Jurídico, 30 de dezembro de 2008, 14h30

Comentários de leitores

27 comentários

SERÁ QUE O PRIVILEGIO DO VIDEO SAIU DE GRAÇA?

Francisco Lobo da Costa Ruiz - advocacia criminal (Advogado Autônomo - Criminal)

SERÁ QUE O PRIVILEGIO DO VIDEO SAIU DE GRAÇA?

Richard, grampo sem áudio tem o mesmo valor que...

Mauro (Professor)

Richard, grampo sem áudio tem o mesmo valor que vídeo sem áudio, ou seja, nenhum. Repito o que você não entendeu; um Presidente de uma Suprema Corte não pode acusar uma agência de inteligência baseando-se em uma revista, pois não há materialidade do crime. A questão não é confirmar ou não a conversa, a questão é fazer uma acusação leviana. Se GM não tivesse acusado a Abin, não precisaria provar nada, mas como a acusou, então, na condição de maior mandatário da estrutura jurídica brasileira, deveria dar o exemplo e não jogar a CF no lixo. Novamente, Richard, digo-lhe que não se trata de uma questão de lógica senão de verossimilhança, ou seja, da correspondência entre a verdade produzida e os fatos. Para você, Richard, suas ideologias e seus afetos ideológicos estão muito acima de valores éticos, morais e de justiça. Já lhe demonstrei isto várias vezes. Você acredita em GM/Demóstenes e não acredita em José Dirceu por pura ideologia. Tapa seus olhos para a corrupção praticada por GM em passado não muito distante e brada aos quatro ventos o quanto José Dirceu é corrupto. Tente usar a cabeça e libertar-se de contradições tão escancaradas que só você não vê.

Tentei ver o audio, mas, aparece muito secciona...

Sargento Brasil (Policial Militar)

Tentei ver o audio, mas, aparece muito seccionado, ou intercortado, não dá para entender. Mas, ainda esta semana li algo que dizia sobre investigações inglesas, sobre fato que teria ocorrido naquele pais, envolvendo DD. Não sei até onde é verdade e se possível ter informações por este espaço. Estive impossibilitado de acessar estge espaço, por problemas técnicos, há mais de uma semana.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 07/01/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.