Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Venda de sentença

Desembargadores afastam presidente do TJ do Espírito Santo

Depois de duas horas e meia reunidos em sessão secreta nesta quinta-feira (11/12), 20 dos 24 desembargadores do Tribunal de Justiça do Espírito Santo decidiram afastar da presidência da instituição o desembargador Frederico Guilherme Pimentel, preso na última terça com outros dois desembargadores sob a acusação de negociar sentenças. A informação é do jornalista Marcelo Auler no site do Estadão.

Os desembargadores são investigados pela Polícia Federal por crimes contra a administração pública e da Justiça, na chamada Operação Naufrágio. Na sessão plenária desta quinta-feira, os desembargadores também anunciaram o afastamento do juiz Frederico Luiz Scheider Pimentel, filho do presidente afastado, que também foi preso. Processo administrativo disciplinar foi aberto para apurar sua responsabilidade nos fatos denunciados pela PF.

Outra afastada pelos desembargadores foi a cunhada do juiz, Bárbara Pignaton Sarcinelli, que respondia pela diretoria de distribuição de processos. Ela também responderá a processo disciplinar. Só não participaram da sessão os três desembargadores presos e o corregedor do Tribunal, Romulo Taddei, que está de férias e não retornou a Vitória para a sessão.

Ainda de acordo com o texto, 20 desembargadores vão pedir à ministra do Superior Tribunal de Justiça Laurita Vaz, relatora do inquérito que investiga a cúpula da Justiça capixaba, que se posicione pelo afastamento ou não dos três desembargadores presos de suas funções na magistratura.

Revista Consultor Jurídico, 11 de dezembro de 2008, 16h10

Comentários de leitores

6 comentários

Se forem investigar os últimos concursos públic...

boca (Advogado Autônomo - Empresarial)

Se forem investigar os últimos concursos públicos e outros fatos nebulosos do TJ-ES vão ter que FECHAR os fóruns por falta de servidores e demais integrantes.

Caro Jornalista Wolf, não concordo com o 2º. pa...

Zito (Consultor)

Caro Jornalista Wolf, não concordo com o 2º. parágrafo, em mandar infratores para à Amazônia. Pois ela é soberana de natureza. Os corruptos têm que pagar pelos seus crimes cometidos, e principalmente eles que são aplicadores das leis, e devem dar o bom exemplo. Espero, que os membros do judiciário apliquem a verdadeira pena. Com a exclusão deste e outros de seus quadro. Não sendo aplicado o voto do CORPORATIVISMO, Ex. APOSENTADORIA E OUTROS MEIOS BENFEITORIA. Como foi o caso de uma Juiz de Manaus, que soltou vários presos, que não era o seu plantão. O pleno recomendou a sua aposentadoria por INVALIDEZ. FICOU INVALIDO DE TANTO SOLTAR CRIMINOSOS. S. M. J.

Cada dia mais aparecem as maiores falcatruas no...

Wolf (Jornalista)

Cada dia mais aparecem as maiores falcatruas nos mais diversos segmentos da sociedade. Agora, aparecer no Judiciário, é feio demais. Quem estudou e se dedicou a preservar as Leis praticando corrupção, cadeia é pouco para eles! Tinham que ser mandados para a Amazonia para abrir estradas, como nos filmes americanos de antigamente. O problema é que eles iriam corromper os vigias.....!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 19/12/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.