Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Acordo fechado

Igreja paga US$ 12 milhões a vítimas de abuso sexual em Chicago

A Arquidiocese de Chicago, nos Estados Unidos, anunciou na quarta-feira (13/8) um acordo de US$ 12,6 milhões para encerrar as ações movidas por pessoas que processavam a Igreja. Os autores das ações disseram que foram vítimas de abusos sexuais cometidos por padres. As informações são do site Findlaw.

Os beneficiados são 16 moradores da cidade. “Qual o preço a ser ressarcido a uma jovem, de 8 anos de idade, que perdeu a virgindade nas mãos de um padre?”, questiona Therese Albrecht. Ela diz ter sido violentada, dos 8 aos 11 anos, por um padre da diocese de Chicago. Bob Brancato, hoje com 39 anos de idade, sustenta ter sofrido atentado violento ao pudor, entre seus 12 e 13 anos de idade, praticado por um reverendo de Chicago.

O acordo englobou desculpas públicas feitas pelo cardeal de Chicago, Francis George, e mais a emissão de um documento clerical, de 307 páginas, com explicações formais sobre os abusos sexuais e as investigações promovidas pelo clero local. Dos 16 casos de Chicago, 14 envolvem 10 diferentes padres.

O reverendo Daniel J. McCormack, por exemplo, que ano passado declarou-se culpado pelo abuso de cinco crianças, agora cumpre pena de 5 anos de reclusão. Do grupo de 10 padres, três já morreram e dois estão presos.

O acordo, agora, eleva para US$ 65 milhões o montante desembolsado pela Arquidiocese de Chicago em 30 anos para colocar uma pedra sobre as 250 ações civis por abuso sexual. A Igreja Católica dos Estados Unidos fechou outros acordos em razão de abuso sexual de padres.

Em dezembro de 2006, a Arquidiocese de Portland se comprometeu a pagar US$ 75 milhões para evitar condenações em 170 processos civis. A arquidiocese de Los Angeles também aceitou desembolsar US$ 60 milhões para 45 autores de ações.

Outros casos famosos são o da Diocese do Condado de Orange, Califórnia, que pagou US$ 100 milhões a 87 pessoas em 2005 e o da Arquidiocese de Boston, que desembolsou US$ 85 milhões para 552 vítimas. Em janeiro de 2007, a Diocese da cidade de Spokane, no estado de Washington, também concordou em pagar US$ 48 milhões a pessoas molestadas sexualmente por padres.

Revista Consultor Jurídico, 14 de agosto de 2008, 14h56

Comentários de leitores

9 comentários

Que vergonha para a igreja, mesmo sabendo ja em...

futuka (Consultor)

Que vergonha para a igreja, mesmo sabendo ja em casos identificados(com a policia atendendo ocorrencias ou prendendo em flagrante e o mp denunciando) que por 'essas bandas' não se dá nenhum auxílio pós traumático, ajuda financeira, idenizações e etc a grande maioria sequer recebe uma ajuda jurídica do Estado ou de qualquer outro setor da sociedade(como as tais ongs,associações e etc),, por que será que existe esse grande atrazo em resolver estas situações reais em nosso país(?!).

Seria absolutamente difícil processar, que diri...

Rubão o semeador de Justiça (Advogado Autônomo)

Seria absolutamente difícil processar, que diria condenar uma Instituição que sequer se submete a voz suprema que a originou na era cristã (Jeus: "dai a Cézar o que é de Cézar, dai a Deus o que é de Deus..."), quando se sabe que o que impera para ela e seu staff é tal do Direito Canônico. O Direito Comum é só no sentido de manter suas propriedades ao modo do Código Napoleônico de 1804, do rapa Leão XIII da Rerum Novarum, do rapa Pio XI do Tratado de Latrão com o fascista Mussollini que lhe concedeu o independente Estado do Vaticano encravado nas sete colinas romanas, et caetera ...

Pode ser que entre estes milhares de casos exis...

imperadorzeros (Jornalista)

Pode ser que entre estes milhares de casos existam alguns que se aproveitaram do bonde da ganância; gente que se afirmou estuprada ou desonrada pelos clérigos da Santa Sé apenas para levar seu quinhão desta bolada, mas se apenas um único caso fosse confirmado (e foram vários), já seria uma desmoralização para a impenetrável e secreta Igreja Católica; justo ela que se diz a pregadora do bem e a representante única do Filho de Deus, não deveria patrocinar uma verdadeira curra a seus fieis, os mesmos fieis que lhe enche de ouro e glórias. E não pensem que estes casos são isolados e setoriais; não é só os Estados Unidos da América que abriga estes vigários do mal; no Brasil já existem alguns casos de padres presos por pedofilia e estupro e a justiça daqui também anda de olhos bem abertos para este tipo de caso. Quando eu estive no México, que é uma das maiores nações católicas do mundo observei também que dezenas de membros da Santa Sé estavam presos pela acusação do mesmo tipo de crime, mas lá, como aqui no Brasil, que possuem populações quase miseráveis e desprovidas de qualquer tipo de cultura, as ações judiciais punem somente os membros, jamais punem a instituição Igreja. Nos locais onde são encontradas pessoas sem discernimento lógico, como aqui no Brasil, isso ocorre debaixo dos narizes da sociedade medíocre e ainda muitos acham que estão na era Medieval, onde tudo pode e nada é escandaloso, se for praticado em nome de Deus. Leia mais em www.zeros.com.br

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 22/08/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.