Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Liga da Justiça

Para Assembléia do Rio, deputado Natalino Guimarães fica preso

A Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) decidiu, nesta quarta-feira (6/8), manter, por 43 votos a cinco, o deputado estadual Natalino Guimarães na prisão. O parlamentar, preso pela Polícia Civil no dia 21 de julho, é acusado de participar da milícia Liga da Justiça, que atua em Campo Grande (zona oeste), no Rio.

Após a decisão, o deputado Luiz Paulo Corrêa da Rocha (PSDB), corregedor da Alerj, anunciou que abrirá processo para julgar a cassação do mandato do deputado por quebra de decoro parlamentar. A Comissão Executiva Nacional do DEM decidiu expulsar o deputado do partido, aprovando por unanimidade o parecer do senador Demóstenes Torres (GO).

Votaram pela liberdade de Guimarães os deputados Domingos Brazão (PMDB), Dica (PMDB), Marcos Abrahão (PSL), Anabal (PHS) e Álvaro Lins (PMDB). O deputado continua preso na Penitenciária de Bangu 8. Guimarães e seu irmão, o vereador Jerominho, preso desde dezembro do ano passado, são acusados de participarem de milícias, mas negam as acusações.

Álvaro Lins

Em maio, a Alerj tomou posição diversa em relação a outro deputado. Álvaro Lins (PMDB) foi preso no dia 29 de maio pela Polícia Federal, mas foi solto no dia seguinte, pela Assembléia Legislativa. Por lei, a Alerj tem prerrogativa para decidir se um deputado preso em flagrante deve ou não continuar detido.

Revista Consultor Jurídico, 7 de agosto de 2008, 1h00

Comentários de leitores

1 comentário

É de arrepiar os cabelos! Santa barbaridade! C...

DAGOBERTO LOUREIRO - ADVOGADO E PROFESSOR (Advogado Autônomo)

É de arrepiar os cabelos! Santa barbaridade! Como os alerjados estão judicando, pergunta-se se o Poder (poder?) Judiciário do Rio de Janeiro está legislando? Outra pergunta: está em vigor a Constituição da República no Estado do Rio de Janeiro? O Ministério Público encontra-se em férias coletivas? A que ponto chegamos! DAGOBERTO LOUREIRO OAB/ SP Nº 20.522

Comentários encerrados em 15/08/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.