Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Conexão internacional

PF deflagra operação contra tráfico internacional de mulheres

Por 

A Polícia Federal deflagrou, nesta quarta-feira (30/4), a Operação Treviso. O objetivo é combater o tráfico internacional de mulheres. A ação policial ocorre simultaneamente na Itália e nos Estados do Espírito Santo e São Paulo.

As investigações começaram em setembro de 2007 e já resultaram no indiciamento de dez pessoas do grupo acusado de ser criminoso. Estima-se que este grupo já enviava brasileiras para o exterior há muito tempo e cobrava até R$ 8 mil por pessoa. Na madrugada desta quarta-feira, a PF estava com três mandados de busca e apreensão e sete mandados de prisão para serem cumpridos.

Na Itália, policiais federais e policiais italianos prenderam quatro brasileiros envolvidos no esquema. As prisões ocorreram nas cidades de Pádova, Bolonha e Treviso. No fim da manhã, duas mulheres foram presas em Santa Maria de Jetibá, no interior do Espírito Santo, e em Vila Velha, na Grande Vitória. As detidas são suspeitas de atuar como aliciadoras de pessoas na região metropolitana.

A ação da polícia se desdobra em de São Paulo, onde outro integrante da rede de tráfico foi preso. De acordo com a Polícia Federal, ele “aliciava pessoas para enviá-las para a Europa”.

 é repórter especial da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 30 de abril de 2008, 11h32

Comentários de leitores

4 comentários

É sempre assim: quando se aproximam do andar de...

Armando do Prado (Professor)

É sempre assim: quando se aproximam do andar de cima, cita-se o garantismo, a presunção de inocência, a inconstitucionalidade daas prisões cautelares, etc. Mas, para o preto, pobre, puta e periférico pode. Agora mesmo, tem pobre e preto preso há vários dias por bagatela. Esse pode.

A PF deveria fixar-se em objetivos mais modes...

Embira (Advogado Autônomo - Civil)

A PF deveria fixar-se em objetivos mais modestos, já que ninguém vai acabar com a prostituição, a mais antiga das profissões. A própria notícia diz que “este grupo já enviava brasileiras para o exterior há muito tempo e cobrava até R$ 8 mil por pessoa”. Ora, quem paga R$ 8.000 não está sendo aliciado para trabalhar: tem em vista um negócio lucrativo, que já fez a fortuna da capixaba Andréia Dias Schwartz, que foi casada com um italiano rico e, estabelecendo-se nos EUA, foi pivô da queda do governador de Nova York, Eliot Spizer. O blog Alerta Total informa que “a cafetina brasileira presa nos EUA era a preferida de sete políticos e um magistrado aposentado em Brasília”. Se houvesse interesse da mídia em “cassar” alguns desses políticos, como no caso Renan Calheiros, seria muito fácil. A prostituição é um problema, ou um fenômeno, mundial. Tenho um amigo que foi trabalhar no Japão. Perguntei-lhe como eram as japonesas. Ele respondeu: péssimas! Aqui a gente só sai com tailandesa. O que a PF deveria fazer, com o apoio das polícias européias, é detectar os casos em que as prostitutas são mantidas na condição de escravas. Então, poderiam conceber a Operação Andrômeda, para libertar as princesas acorrentadas. As que estivessem livres, ganhando seu cacau, poderiam ser deixadas “à la volontée”.

Avante PT, com o pão e circo nosso de cada dia!...

olhovivo (Outros)

Avante PT, com o pão e circo nosso de cada dia! Enquanto isso, avante DENGUE, avante LEPRA, avante CARTÕES...

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 08/05/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.