Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Operação Strike

Polícia de São Paulo prende mais de mil pessoas em operação

A Polícia Civil de São Paulo realiza, nesta quinta-feira (14/6), em todo o estado de São Paulo a Operação Strike. São 18.217 policiais civis e 4.206 viaturas, com o apoio de cerca de 800 peritos criminais do Instituto de Criminalística. O objetivo é cumprir mandados judiciais de busca e apreensão, prisões e ocupação de áreas consideradas de risco.

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, 1.046 pessoas foram presas (445 presos e 541 recapturados e 60 menores apreendidos). Até 12h, foram cumpridos 26 pedidos de interdição de estabelecimento; 369 veículos foram apreendidos e 70 armas também; 14.677 pessoas foram abordadas; 728 máquinas caça-níquel apreendidas e 853 bingos fechados.

A missão envolve todos os Departamentos Policiais do Estado, inclusive os órgãos de apoio operacionais e administrativos. Além do cumprimento de mandados, estão sendo vistoriados estabelecimentos que comercializam peças de veículos automotores, bem como hotéis, bares, restaurantes, aeroportos e regiões portuárias.

Revista Consultor Jurídico, 14 de junho de 2007, 13h04

Comentários de leitores

8 comentários

Abaixo, mais um flato (para não dizer peido, ...

Richard Smith (Consultor)

Abaixo, mais um flato (para não dizer peido, que é feio!) saido da boca do "fessô" PeTralha, fujão, borra-cuecas, MISTIFICADOR, anti-clerical, abortista e mentiroso. Em primeiro lugar, porque corrupção no âmbito da Prefeitura de São Paulo sempre existiu, principalmente na antiga Regional (hoje sub-prefeitura) da Sé; Em segundo lugar, porque o PT, "o partido da ética e da moralidade" (nas cuecas, é claro) já consagrou definitivamente a noção de que "todos fazem", não havendo o que reclamar; Em terceiro, o Secretário das sub-prefeituras - e não o sub-prefeito da Sé, como MALICIOSAMENTE que fazer crer o "fessô" troca-letras - sr. Andréa Matarazzo é um homem decente e competentíssimo, que somente abrilhantou o Brasil quando seu embaixador em Roma. O que os manés das sub-prefeituras praticam de corrupção não deve ser do seu conhecimento e aprovação. Cadeia neles, portanto. Em quarto lugar, corrupção por corrupção, principalmente em prefeituras do PT, temos aquelas praticadas por paulo okamoto e pelo secretário pessoal do Abortista/Excomungado, o gilbertinho, e que foram denunciadas por Paulo de Tarso Vensceslau, além daqueles escândalos de extorsão (Shell e Lubecca, entre outros) praticados pelo ex vice-prefeito greenhalg no governo de Luiza Erundina - e que resultaram na sua expulsão do Palácio Municipal, por aquela prefeita - jamais adequadamente investigados. Isso basta ou quer mais, "fessô"?

16/06/2007 11:12h A P(R)F CHEGA A MATARAZZO ...

Armando do Prado (Professor)

16/06/2007 11:12h A P(R)F CHEGA A MATARAZZO Paulo Henrique Amorim . A Folha de S. Paulo de hoje, sábado, dia 16, na pág. C1, em reportagem do infatigável Mario César Carvalho, mostra que a Polícia (Republicana) Federal “encontrou menção de que funcionários de um órgão da Prefeitura e São Paulo receberam dinheiro para que um bingo irregular continuasse aberto. O órgão citado é a Subprefeitura da Sé, que administra a região central da cidade. Quem dirige a subprefeitura é Andréa Matarazzo, a principal voz do PSDB dentro da administração municipal”. . Mais do que isso: Matarazzo é um dos cardeais do PSDB, é unha e carne com o presidente eleito José Serra (que o levou para a prefeitura) e o Farol de Alexandria, que nomeou Matarazzo ministro e embaixador em Roma. . É um dos príncipes da dinastia tucano-paulistíca. . No caderno “Metrópole”, pág. C1, o Estadão de hoje revela que “contabilidade da máfia (de caça-níqueis) registra propina a 84 DPs” – quer dizer, a polícia de São Paulo é como se fosse um queijo suíço freqüentado por ratos – cheio de buracos ... . O Conversa Afiada já tinha percebido que entre a Justiça decretar o fechamento dos bingos, e o efetivo fechamento dos bingos em São Paulo se passou um espaço de tempo tão longo quanto da decretação do fim do tráfico negreiro a libertação dos escravos no Brasil. . Os governos tucanos de São Paulo – prefeitura e capital – se esqueceram de cumprir a ordem da Justiça. . E os bingueiros felizes da vida. . A Polícia de São Paulo só correu atrás, quando a Policia (Republicana Federal) começou a fechar bingo a torto e a direito. . Um dos pontos onde se percebeu mais lentidão foi exatamente na subprefeitura do Ministro Matarazzo. . Quer dizer, a Polícia (Republicana) Federal além de algemar branco (*) começou a descer para o Sudeste. . Vai ser um Deus nos acuda. . Como diz o ilustre ministro Gilmar Mendes, do STF, aquele que mais solta presos feitos pela P(R)F: vai ser uma verdadeira “Gestapo”. (*) Nunca é demais rememorar o ilustra advogado Alberto Zacharias Toron, que defende o juiz Lalau e Daniel Dantas. Toron disse, indignado porque um dos seus clientes (branco) tinha sido algemado: já se foram os bons tempos em que a Polícia só algemava “preto, pobre e p...”

REINALDO AZEVEDO, do seu blog, "respondendo" ...

Richard Smith (Consultor)

REINALDO AZEVEDO, do seu blog, "respondendo" ao Embira e ao "fessô" PeTralha, fujão, borra-cuecas, mistificador, anti-clerical, mentiroso e abortista: "Elogiei a operação havida e março e elogio esta também. Até agora, a área de Segurança Pública do governo de São Paulo vem demonstrando uma impressionante eficiência. Sempre há, claro, um especialista de alguma corrente de pensamento para afirmar que essas operações nada resolvem; que o que vale são as ações de inteligência etc. Por que elas precisam ser contraditórias ou excludentes, e não, como foi o caso, complementares? O tempo me ensinou a me antecipar às críticas petralhas. A óbvia, desta feita, seria esta: 'Operação da Polícia Federal, você crítica; da Polícia Civil de São Paulo, você elogia, né, serrista?'. Mais ou menos. Não crítico o fato de a PF prender bandidos; critico é sua balcanização e o uso político das operações. Em São Paulo, o que se vê é o contrário: há um claro processo de coesão crescente da Polícia. E, a menos que alguém evidencie o contrário, não noto a ação policial sendo usada para fazer proselitismo. E a operação se justifica tecnicamente? Acabo de falar com dois especialistas da área que me dizem que sim. Por quê? Mesmo o crime comum, hoje em dia, está ligado por uma espécie de rede subterrânea. Uma grande operação, se localizada, espanta os demais bandidos. A tática do sufoco, da ação coordenada, impede a submersão da bandidagem. Dá para pegar muita gente com a boca na botija. Mais: os sistema policial é infiltrado pela crime no mundo inteiro. É por isso que o trabalho mais difícil dos parelhos repressivos é a autovigilância, que tem de ser constante. Ou há vazamento de informações. A Polícia de São Paulo tem conseguido manter, até onde é possível, o sigilo das operações até que sejam deflagradas.". Ui, essa sabugada deve ter doído, né "fessô" e Embira?! Vão ter que ficar aí teclando de pé, até amanhã, não? E, amigo Douglas, estou contigo! Até em cantina de escola dqui há pouco terá máquinas caça-níqueis. E o Ivo Noal, sócio de tudo quanto é "empresário" espanhol, corso, camorrista, mafioso, etc. continua aí, soltinho, soltinho.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 22/06/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.