Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Denúncia vazia

Leia a denúncia do MPF contra financiador do Corinthians

Por 

2. Kiavash Joorabchian, que também usa os nomes de Kia Joorabchian e Kia Kiavash, iraniano, cidadão britânico, solteiro, nascido em 25.07.1971, portador do passaporte britânico nº 093023841 e do CPF nº 059.823.607-40, filho de Mohammed Joorabchian e Sharzad Joorabchian, atualmente residente na Inglaterra em local não sabido;

3. Alberto Dualib, brasileiro, casado, nascido em 01.01.1920, filho de Abílio Dualib e Hiland Dualib, portador da cédula de identidade RG 1.029.682 SSP/SP e CPF 027.896.208-49, com 2006.61.81.008647-8 endereço residencial à rua Murajuba, 52 e endereço comercial à rua São Jorge, 777, nesta capital;

4. Nesi Curi, brasileiro, viúvo, filho de Abrahão João Curi e Helena Curi, portador da cédula de identidade RG 1.244.183-1 SSP/SP e CPF 007.024.598-36, com endereço residencial à avenida Jurucê, 135, aptº 112 e endereço comercial à rua São Jorge, 777, nesta capital;

5. Renato Duprat Filho, brasileiro, casado, filho de Renato Duprat, portador da cédula de identidade RG 6.610.836 SSP/SP e CPF 567.734.638-15, com endereço comercial à rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 110, 12º andar, conjunto 123, nesta capital;

6. Alexandre Verri, brasileiro, casado, filho de Antônio Verri e Izabel Catanho da Silva Verri, portador da cédula de identidade RG 12.277.216 SSP/SP e CPF 082.290.548-51, com endereço residencial à rua Coronel Raul Humaitá Vila Nova, 74, aptº 41 e comercial à avenida Nações Unidas, 12.995, 18º andar, nesta capital;

7. Paulo Sérgio Scudiere Angioni, brasileiro, casado, portador do RG 2.300.914-5 SSP-SP e CPF 097.699.277-91, com endereço residencial à rua Eleonora Cintra, nº 960, aptº 610, nesta capital;

8. Nojan Bedroud, iraniano, cidadão britânico, solteiro, nascido em 04.06.1963, filho de Roben Bedroud e Shokouh Salman, portador do passaporte britânico nº 094538819 e do CPF nº 059.967.527-60, atualmente em local não sabido; pelos fatos a seguir descritos:

1. Boris Berezovsky

Quando interrogado em maio de 2006 (fls. 143/149 do apenso VII aos autos principais), Boris Berezovsky declarou ter sido professor de matemática da Academia de Ciências da União Soviética até 1989, quando tinha 43 anos de idade, recebendo, até então, o equivalente a trezentos dólares mensais. Três anos antes, em 1986, por ocasião da abertura econômica e política da União Soviética, teria aplicado o correspondente a cinco mil dólares numa joint venture entre o Instituto de Ciências e Controle da Academia de Ciências, a Autovaz, empresa fabricante de automóveis, e a empresa italiana Logosystems. Outros quatro sócios teriam aplicado valores semelhantes. Cinco anos depois, em 1991, o patrimônio desses cinco afortunados investidores teria atingido a espantosa cifra de 20 milhões de dólares. Ou seja, um rendimento de 80.000 % (oitenta mil por cento) em cinco anos. Sem dúvida uma cifra espantosa e insuperável mesmo para países de tradição capitalista.

Entre 1992 e 1999, Berezovsky viu ampliar seu poder econômico e ganhou ascendente influência política durante os dois mandatos sucessivos de Boris Yeltsin. Participou ativamente na candidatura de Vladimir Putin, sucessor de Yeltsin, eleito em 2000. Na mesma campanha, já um milionário influente, também Berezovsky foi eleito representante no Duma, casa legislativa da Federação da Rússia.

Ainda em 2000, com a prisão de seu associado empresarial Nikolai Gluchkov, e temendo o mesmo destino, fugiu da Rússia, tendo passado pela França e posteriormente obtido asilo político na Inglaterra.

Assim, em um período de apenas dez anos, coincidente com a privatização de ativos da extinta União Soviética, Berezovsky tornouse de obscuro e mal remunerado professor de matemática em político influente e poderoso multimilionário.

 é diretor de redação da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 13 de julho de 2007, 12h23

Comentários de leitores

10 comentários

Ô imprensa tacanha a nossa (como diz o Gabriel ...

Rubão o semeador de Justiça (Advogado Autônomo)

Ô imprensa tacanha a nossa (como diz o Gabriel Garcia Marquez), o jornalista cheio de velhacaria inocenta um bando de investigados pelo MPF e Estadual. Boris Abramovich Berezovsky (Eduardo José Farah da FPF de Sun Paulemon... também começou de baixo...) rapinou os recursos públicos da URSS e da Aeroflot em conluio com a contadora, que os encaminha para a farra de dinheiro surrupiado do mundo por gangsters lobistas na famosa Suiça... O mínimo que o jornalista haveria de fazer, era registrar na revista a denúncia contra esses malas (incluindo o Turco Velho e os sacanas do caso da Amil!)que acabaram com um dos únicos divertimentos que a comunidade corinthiana tinha, incluindo este escriba que vos escrebe. Um abraço ao Dr. Sidney Gonçalves grande criminalista!

"DENUNCIA VAZIA" ha ha ha ha. IMAGINE SE FOSSE...

veritas (Outros)

"DENUNCIA VAZIA" ha ha ha ha. IMAGINE SE FOSSE DENUNCIA CHEIA E AGORA JOSÉ ??? PARABÉNS MAIS UMA VEZ MP CONTINUE O BELO TRABALHO. AOS INSATISFEITOS QUE FIQUEM NO ESPERNEIO...

Desconheço a formação jurídica do ilustre diret...

Marcos de Moraes (Advogado Autônomo - Criminal)

Desconheço a formação jurídica do ilustre diretor de redação. Mas creio que esta bem acessorado e pelas matérias anteriores se apresenta conhecedor dos fatos. Fico com a notícia e opinão apresentada !! Aliás, denúncia recebida por magistrado pode sim ser declarada inépta pelos tribunais superiores. São tantos os precedentes que nem vale a penar citar um deles.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 21/07/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.