Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

O procurado

EUA quer extradição de acusado de estuprar a própria filha

Por 

Autoridades dos Estados Unidos pediram, nesta terça-feira (3/7), a Hong Kong a extradição de um cidadão norte-americano. Ele é acusado de ter estuprado a própria filha e colocado, na internet, os vídeos. As informações são do site Findlaw.

Kenneth John Freeman está na lista dos dez homens mais procurados dos Estados Unidos. Ele chegou a ser o segundo mais procurado. Perdia apenas para Osama bin Laden. No próximo dia 19 de julho, o acusado vai responder às autoridades de Hong Kong, seguindo o rito legal local, se aceita ou não os termos da extradição, segundo o seu advogado Giles Surman.

Freeman enfrentará, caso aceite a extradição, a prisão perpétua. Ele é levantador de pesos, tem 44 anos de idade e chegou a ser voluntário para o cargo de xerife-substituto.

O acusado fugiu de sua residência em Seattle após sua filha de 17 anos de idade ter confessado à mãe que ele a estuprava há quatro anos. Freeman ficou no Canadá e na China neste tempo de fuga.

 é repórter especial da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 3 de julho de 2007, 16h57

Comentários de leitores

3 comentários

Prisão perpétua! é boa para casos assim

futuka (Consultor)

Prisão perpétua! é boa para casos assim

Duas coisas me encantam no Tribunal do Santo Of...

diegodlsantos (Funcionário público)

Duas coisas me encantam no Tribunal do Santo Ofício Petista que vigora "nestipaíz". A primeira é que neste tribunal não há defesa, só acusação. A segunda é que um petista está sempre respondendo ao que não foi perguntado ou colocando palavras na boca alheia, de preferência para referendar suas teorias conspiratórias.

...segundo os chicaneiros e rábulas daqui, é in...

Robespierre (Outros)

...segundo os chicaneiros e rábulas daqui, é inocente e deve ficar solto, pois ainda não transitou em julgado, não é mesmo?

Comentários encerrados em 11/07/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.