Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

A voz de Deus

Ofendido com sátira, Cid Moreira processa Eliana

O locutor do Fantástico, Cid Moreira, entrou com processo indenizatório contra Eliana Michaelichen Bezerra, nome da apresentadora de TV Eliana, e a rede Record. No dia 23 de outubro de 2005, durante o programa Tudo é Possível, um boneco de espuma com voz de ventríloquo e a aparência do apresentador teria feito gestos obscenos que ofenderam a moral de Cid Moreira.

Na sátira, durante o quadro Prova de Afinidades, o boneco do locutor teria dito frases como “eu quero tocá-la”, “se quiser vem aqui”, “depois eu quero conversar com você”, “eu também quero”, “vem cá”. Eliana teria respondido com palavras como “está surtando o véio”. O Cid Moreira de espuma ainda teria feito gestos, de forma “acintosa” com os dedos, com referência direta aos seios de uma modelo, quando dizia “vejo dois milhões”.

Cid Moreira pede uma indenização de R$ 150 mil. São duas as reclamações de Cid, uma de ordem moral e outra referente ao uso indevido e não autorizado de sua imagem.

O locutor diz que não é contra o sexo e nem a sexualidade, mas o dano psicológico se agrava pelo fato do foco primordial de seu trabalho ser a gravação em áudio de textos da Bíblia. Para ele, sua imagem estaria fortemente vinculada à palavra de Deus, “não podendo aceitar a forma bestial como foi retratado”.

“É patente o dano psicológico sofrido pelo autor. Voz e imagem construídas por anos para informar e principalmente nos últimos tempos, instruir na Palavra de Deus, usadas para fomentar paixões sexuais vãs”, diz processo do advogado Júlio César Martins Casarin. Ele afirma também que o quadro provocou “profunda dor no notificante e o fizeram motivo de escárnio nacional”.

Outro argumento é que o locutor dispensa apresentações e que é comum seu nome e imagem serem usados em programas de televisão que respeitam o limite da diversão. O que não teria acontecido no caso.

Nota da redação: a ação de Cid Moreira contra a apresentadora já foi julgada em primeira instância. Eliana e a Rede Record foram condenadas. Clique aqui para ler.

Revista Consultor Jurídico, 30 de janeiro de 2007, 0h02

Comentários de leitores

11 comentários

JOÃO EVANGELISTA MUNIZ DIAS(Consultor) O apres...

VIABILIZAR (Consultor)

JOÃO EVANGELISTA MUNIZ DIAS(Consultor) O apresentador Cid Moreira, está no seu direito pedir na justiça reparação moral. A apresentadora em questão, deveria lançar mão da criatividade e respeitar a imagem de homem correto.

O apresentador Cid Moreira, está no seu direito...

VIABILIZAR (Consultor)

O apresentador Cid Moreira, está no seu direito pedir na justiça reparação moral. A apresentadora em questão, deveria lançar mão da criatividade e respeitar a imagem de homem correto.

Detesto o Cid Moreira e a sua empostação de v...

Richard Smith (Consultor)

Detesto o Cid Moreira e a sua empostação de voz, mas me surpreendi deveras como teor dos comentários "esculhambativos" à sua pessoa e distanciando-se da essência da matéria publicada. É evidente que o "quadro" do referido programa quis faturar com a sua imagem e com a sua imediata associação com a Globo. E a "sátira" foi chula e altamente depreciativa e certamente num contexto maior de confronto, entre a Record e a Globo, pela liderança de audiência. Apenas isso e nada mais. Dessa forma, entendo que ele tem todo o direito de não se conformar com os termos empregados e, de acorrer ao Judiciário para reconhecimento dos direitos que porventura tenha e das reparações devidas. Existe (pelo menos por enquanto), o mais amplo direito de expressão e de critica no País, mas ambos exercidos com responsabilidade e terminando aonde começam os direitos alheios. Simples assim, razões pelas quais muito me admirei da superficialidade, para não dizer puerilidade, dos referidos comentários. Lastimável.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 07/02/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.