Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Crimes juvenis

Tony Blair também quer leis mais severas contra o crime

Certas coisas que acontecem no Brasil, não acontecem só no Brasil. O primeiro ministro inglês Tony Blair promete endurecer a legislação penal de seu país para enfrentar a criminalidade entre menores de idade. Lá como cá, a proposta decorre de uma seqüência de crimes envolvendo menores.

Em entrevista ao programa Sunday AM da BBC, Blair prometeu que vai propor que a pena de 5 anos de prisão para o porte ilegal de armas seja estendida para os maiores de 17 anos. A lei atual prevê este tipo de pena somente para os maiores de 21 anos.

Nos últimos 15 dias, três adolescentes foram assassinados a tiros em Londres, cassando grande comoção popular. O caso mais dramático foi o da morte de Billy Cox, 15 anos, filho de pai inglês e mãe Tailandesa, executado a tiros por estranhos em sua casa, diante de sua irmã de 13 anos. Elizabeth, de 13 anos, ganhou notoriedade por ter sido selecionada para estudar na exclusivíssima escola do Royal Ballet.

Dias antes foram assassinados em Londres Michael Dosummu, 15 anos, possivelmente confundido com outro garoto, já que não tinha ligações com as quadrilhas de menores infratores ou de tráfico de drogas, e André Smartt-Ford, de 16.

Segundo reportagem do jornal espanhol El País, morrem 49 pessoas assassinadas por arma de fogo na Inglaterra, por ano, um terço delas, em Londres. O número de feridos a tiros chegou a 3.360 em 2005. As estatísticas são relativamente baixas, mas deixam os ingleses preocupados. O debate por lá também gira entre os que defendem uma legislação penal mais severa e os que acreditam que a aplicação mais rigorosa das leis existentes seja suficiente para conter a criminaliddade.


Revista Consultor Jurídico, 19 de fevereiro de 2007, 13h40

Comentários de leitores

2 comentários

Dada a pertinência ao assunto e como o "apare...

Richard Smith (Consultor)

Dada a pertinência ao assunto e como o "aparelhamento" deste espaço por PeTralhas, com citações de "gênios" como mino carta, josé dirceu e emir sáder, se tornou uma constante, peço vênia, para uma nova reprodução do artigo abaixo, do blog do REINALDO AZEVEDO: "O QUE ACONTECE COM UM ASSASSINO NA INGLATERRA E O QUE ACONTECERIA COM ELE NO BRASIL O Brasil, como vocês sabem, é inteligente. A Inglaterra é estúpida e atrasada. No Brasil, conforme eu previ aqui ontem, a OAB e a CNBB se reuniram para debater o que fazer contra o crime e chegaram ao consenso de que não há muito a fazer: o problema, segundo entendi, é nosso. Os padres e os advogados querem que fiquemos calmos. Nada de decidir sob pressão emocional. Já na Inglaterra, um país idiota, um sujeito chamado Roberto Malasi matou uma mulher quando era menor de idade. Tinha 17 anos. Num país sábio como o nosso, ficaria três anos internado e seria posto na rua aos 20 anos. Naquele país de imbecis, vejam só, ele ficou preso até a maioridade e foi julgado. Pegou prisão perpétua. A mulher assassinada estava com um bebê no colo. Os ingleses, cretinos que são, consideraram isso inaceitável. O assassino tinha três comparsas, todos menores de 18: tinham 15, 16 e 17. Ficarão internados, no mínimo, 8 anos. Vão para a rua depois? Não! Serão avaliados. A depender do que acontecer, podem pegar pena de até 30 anos. No país, como já informei aqui, uma pessoa pode ser responsabilizada por seus crimes a partir dos 10 anos. Até os 18, cumpre pena em lugar próprio para menores. Depois, é cadeia de gente grande. Mas sabem como é... Querem acabar com a ilha da rainha em três tempos? Mandem pra lá Márcio Thomaz Bastos, um bispo da CNBB e o presidente da OAB. Eles sabem o que fazer com Malasi!"

Desde quando Tony Blair é referência de alguma ...

Armando do Prado (Professor)

Desde quando Tony Blair é referência de alguma coisa? Só se for para dementes, como o Bushinho...

Comentários encerrados em 27/02/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.