Consultor Jurídico

Notícias

Sustentação no mensalão

Estrelas da advocacia defendem denunciados do mensalão

Por 

A denúncia

Em março de 2006, o procurador-geral da República ofereceu a denúncia contra 40 pessoas. Ele acusou políticos e empresários de crimes de peculato, corrupção, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, evasão de divisas e gestão fraudulenta.

De acordo com a denúncia, o esquema do mensalão era uma organização criminosa dividida em três núcleos: o político-partidário, o publicitário e o financeiro. Para garantir apoio no Congresso, ajudar na eleição de aliados e fazer caixa para novas campanhas, o estado-maior do PT desembolsava altas quantias aparentemente recebidas em troca de favorecimento da máquina pública.

Leia a lista dos advogados, dos denunciados e das acusações

Denunciado: José Dirceu de Oliveira e Silva, deputado cassado do PT e ex-ministro da Casa Civil; denúncia: formação de quadrilha, peculato e corrupção ativa; advogado: José Luis de Oliveira Lima.

Denunciado: José Genoino, deputado federal do PT-SP e ex-presidente do partido; denúncia: formação de quadrilha, peculato e corrupção ativa; advogada: Sandra Maria Gonçalves Pires.

Denunciado: Delúbio Soares de Castro, ex-tesoureiro do PT; denúncia: formação de quadrilha, peculato e corrupção ativa; advogado: Celso Sanchez Vilardi.

Denunciado: Sílvio José Pereira, ex-secretário-geral do PT; denúncia: formação de quadrilha, peculato e corrupção ativa; advogado: Gustavo Henrique Righi Ivahy Badaró.

Denunciado: Marcos Valério Fernandes de Souza, empresário e publicitário; denúncia: formação de quadrilha, peculato, corrupção ativa, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro, evasão de divisas; advogado: Marcelo Leonardo.

Denunciado: Ramon Hollerbach Cardoso, ex-sócio de Marcos Valério; denúncia: formação de quadrilha, peculato, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, evasão de divisas; advogado: Hermes Vilchez Guerrero.

Denunciado: Cristiano de Mello Paz, ex-sócio de Marcos Valério; denúncia: formação de quadrilha, peculato, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, evasão de divisas; advogado: Castellar Modesto Guimarães Filho.

Denunciado: Rogério Lanza Tolentino, advogado e ex-sócio de Marcos Valério; denúncia: formação de quadrilha, peculato, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, evasão de divisas; advogado: Paulo Sérgio Abreu e Silva.

Denunciada: Simone Reis Lobo De Vasconcelos, ex-gerente da SMP&B, uma das agências de Valério; denúncia: formação de quadrilha, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, evasão de divisas; advogado: Marcelo Leonardo.

Denunciada: Geiza Dias Dos Santos, funcionária da SMP&B; denúncia: formação de quadrilha, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, evasão de divisas; advogado: Paulo Sérgio Abreu e Silva.

Denunciada: Kátia Rabello, presidente do Banco Rural; denúncia: formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, evasão de divisas, gestão fraudulenta; advogado: Theodomiro Dias Neto.

Denunciado: Jose Roberto Salgado, diretor do Banco Rural; denúncia: formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, evasão de divisas, gestão fraudulenta; advogado: Maurício de Oliveira Campos Júnior.

Denunciado: Vinícius Samarane, diretor do Banco Rural; denúncia: formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, evasão de divisas, gestão fraudulenta; advogado: José Carlos Dias.

Denunciada: Ayanna Tenório Tôrres de Jesus, diretora do Banco Rural; denúncia: formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, evasão de divisas, gestão fraudulenta; advogado: Maurício de Oliveira Campos Júnior.

Denunciado: João Paulo Cunha, deputado federal do PT-SP; denúncia: corrupção passiva, lavagem de dinheiro, peculato; advogadoo: Alberto Zacharias Toron.

Denunciado: Luiz Gushiken, ex-ministro da Secom; denúncia: peculato; advogado: José Roberto Leal de Carvalho.

Denunciado: Henrique Pizzolato, ex-diretor do Banco do Brasil; denúncia: peculato, corrupção passiva, lavagem de dinheiro; advogado: Mário de Oliveira Filho.

Denunciado: Pedro da Silva Corrêa de Oliveira Andrade Neto, deputado cassado (PP-PE); denúncia: formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro; advogado: Eduardo Antônio Lucho Ferrão.

Denunciado: Jose Mohamed Janene, ex-deputado (PP-PR); denúncia: formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro; advogado: Marcelo Leal de Lima Oliveira.

Denunciado: Pedro Henry Neto, ex-deputado (PP-MT); denúncia: formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro; advogado: José Antonio Duarte Álvares.

Denunciado: João Cláudio de Carvalho Genu, ex-assessor do PP na Câmara; denúncia: formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro; advogado: Marco Antonio Meneghetti.

  • Página:
  • 1
  • 2
  • 3

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 22 de agosto de 2007, 0h00

Comentários de leitores

26 comentários

Alguns, "nobres" causídicos, têm manifestado de...

A.G. Moreira (Consultor)

Alguns, "nobres" causídicos, têm manifestado desagrado, por o CONJUR, haver exposto o "quantum" cobrado pelas "estrelas" da advocacia , para defender assaltantes do erário !!! Pois eu tenho um recado para estes : Todo o honorário, recebido, sem honra, de bandido confesso (ou explícito), contamina o "defensor", porque é sabido e notório, que "este causídico" está se remunerando de dinheiro roubado !!!!

Um advogado em (todos)casos (principalmente)"es...

futuka (Consultor)

Um advogado em (todos)casos (principalmente)"estelares", como identifica a mídia, deve checar antes suas convicções do que e em que acredita. Se o cliente é a coisa mais importante a respeitar nas suas ações profissionais, tendo em vista que o profissionalismo deverá ser seguido com toda a ética indispensável no seu curso persecutório. Eu não gostaria de ter comigo trabalhando um advogado sem brilho em processo de meu interesse, voce gostaria?..pois é o brilho para alguns pode não brilhar para outros..então na minha opinião que seja a vencedora a lídima Justiça.

As estrelas irão junto para o buraco negro!

allmirante (Advogado Autônomo)

As estrelas irão junto para o buraco negro!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 30/08/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.