Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

O papel da imprensa

Jornais querem parte dos lucros dos sites de busca

Os jornais brasileiros decidiram esta semana topar uma parada indigesta e que deve ir longe: cobrar dos sites de busca, como o Google, uma parte dos lucros que as empresas faturam disponibilizando todo o conteúdo da rede — dos jornais, inclusive.

O anúncio foi feito no encerramento do 6º Congresso Brasileiro de Jornais, pela voz do presidente reeleito da Associação Nacional de Jornais, Nelson Sirotsky. O dirigente informou também que as empresas associadas à entidade vão empreender um grande programa para incentivar a leitura de jornais nas escolas.

Para Sirotsky, as ferramentas de procura na Internet apropriam-se indevidamente do conteúdo pelo qual as empresas jornalísticas pagam caro para produzir e que, por essa razão, devem compartilhar dos ganhos obtidos com a disponibilização de suas notícias e reportagens.

Na opinião do governador Cláudio Lembo que, assim como presidente Luiz Inácio Lula da Silva, esteve presente ao Congresso, “é natural que os jornais exijam seus direitos autorais, já que são eles quem investem na produção desse conteúdo”.

Sirotsky não falou claramente que pretende reivindicar os direitos judicialmente. Diplomático, avisou apenas que vai empreender diálogo com as instituições nacionais e internacionais com essa finalidade. Na opinião de pelo menos um ministro do Supremo Tribunal Federal, a questão é complexa. “O sites de busca não cobram pelo acesso, apenas compõem um índice remissivo”, afirmou. Outro obstáculo para a fundamentação, especificamente no caso do jornal impresso, seria o fato de os veículos eletrônicos, que existem apenas na Internet, já antecipam boa parte do material noticioso que os jornais publicam no dia seguinte.

Revista Consultor Jurídico, 2 de setembro de 2006, 16h31

Comentários de leitores

2 comentários

O jornalismo brasileiro é caracterizador de inf...

CAOVAZ (Advogado Autônomo - Civil)

O jornalismo brasileiro é caracterizador de informação, sendo um instrumento de austeridade e compromisso na eqüidade, ou seja, sem esse meio de comunicação o que seria de todos nós brasileiros. Acho justo que seja cobrado um percentual, ou melhor, o custo de manter um execelente jornal é altíssimo, então, reflete uma regulamentação séria em prol da ética. Obrigado!

Acho melhor os "jornais" brasileiros ficarem qu...

Torre de Vigia (Outros)

Acho melhor os "jornais" brasileiros ficarem quietos. Quem assiste a eles, percebe facilmente o elevado grau de parasitarismo ou vampirismo dos jornais brasileiros, inclusive e principalmente na TV, onde "sugam" noticíários e imagens da internet, sem nada pagar às agências. É fácil ganhar dinheiro às custas dos outros.

Comentários encerrados em 10/09/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.