Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Propaganda de prostitutas

Coronel de Mato Grosso do Sul é afastado por ter site pornô

O coronel Gustavo David Gonçalves, corregedor da Polícia Militar em Mato Grosso do Sul, foi afastado nesta quinta-feira (31/8) da função. Ele será alvo de um inquérito policial militar. Motivo: reportagem do MS-TV, da TV Morena, mostrou que ele mantém um site de propaganda de prostitutas.

O militar é dono de uma página na Internet com fotos e contatos de profissionais do sexo. Na página de abertura, consta que não é um espaço pornográfico nem uma agência e sim um site erótico para comunicação entre pessoas. De acordo com a reportagem, para hospedar um anúncio, o interessado paga R$ 50.

O Ministério Público pediu a quebra de sigilo telefônico e apreensão de computadores do oficial dono do site. A informação é do Portal Terra.

Revista Consultor Jurídico, 1 de setembro de 2006, 13h26

Comentários de leitores

8 comentários

Sou militar da polícia militar de minas gerais....

alber (Policial Militar)

Sou militar da polícia militar de minas gerais. Se fosse um pequeno,de nossa polícia;já estaria excluído da PM.

Desculpem-me. O comentário abaixo é dirigido ao...

Richard Smith (Consultor)

Desculpem-me. O comentário abaixo é dirigido ao amigo Fernando Teixeira.

Meu amigo Antonio: Em princípio, sim e não. ...

Richard Smith (Consultor)

Meu amigo Antonio: Em princípio, sim e não. As condutas absurdas e bizarras que vemos acontecendo hoje, certamente tem raízes muito profundas, lá atrás. Acho um absurdo os anúncios em jornais, de "acompanhantes", "massagistas", etc. e os seus sórdidos complementos: "oral até o final...", "bem-dotados", etc. Mas a rigor, são prostitutas anunciando o seu "produto". E prostituição não é crime. O caso do coronel, no entanto, não é tão simples, pois segundo o que consta de outros artigos de jornal, havia verdadeiro agenciamento de prostitutas por parte do militar e não, tão somente, a cessão de espaço para anúncios. O que por sí só guarda uma certa lógica: quanto é que poderia render o "aluguel" só do espaço, em relação aos vencimentos do safado? E já as comissões sobre os programas? Apenas acho ilógico ele se sujar por tão "pouco". Em sendo o segundo caso, é rufianismo, proxenetismo, mesmo.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 09/09/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.