Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Defesa da honra

Mãe que matou violentador do seu filho é absolvida

Maria do Carmo Ghislotti, acusada de matar um adolescente de 15 anos que teria violentado sexualmente seu filho de três anos, foi absolvida. Nesta terça-feira (14/11), o Tribunal do Júri, em São Carlos (SP), entendeu que ela agiu em legítima defesa da honra de seu filho. As informações são do portal Estadão.com.br.

Em 7 de fevereiro, ela usou uma faca, que teria encontrado na própria Delegacia da Defesa da Mulher (DDM), segundo a sua versão, para matar o vizinho Robson Xavier Francelino de Andrade, de 15 anos. Andrade foi flagrado pelo pai do menino, marido de Maria do Carmo, violentando-o sexualmente, num bambuzal, perto de casa, na zona rural do distrito de Santa Eudóxia.

A polícia foi acionada e enquanto a criança era levada para fazer o exame de corpo de delito no Pronto-Socorro, Maria do Carmo cometeu o crime. A mulher foi presa em flagrante e o promotor a denunciou por homicídio qualificado. Maria do Carmo já estava em liberdade provisória, desde 17 de fevereiro, concedida pela Justiça.

Revista Consultor Jurídico, 14 de novembro de 2006, 20h27

Comentários de leitores

26 comentários

Eu só queria saber quem foi o imbecil do Promot...

Fábio (Advogado Autônomo)

Eu só queria saber quem foi o imbecil do Promotor que submeteu essa senhora ao Júri. E quem foi o igualmente imbecil que aceitou essa denúncia. Essa mulher deveria receber um prêmio de bons serviços prestados à sociedade e não ser processada.

Caros Amigos, "Justiça com as Próprias mãos", s...

caj000 (Advogado Assalariado)

Caros Amigos, "Justiça com as Próprias mãos", seria o título correto da matéria aqui divulgada, lógico que se analizarmos somente o ponto "Alto" que é o fato em sí, todos absolviriam a mãe, mas temos que levar em consideração a Morte de um menor, uma criança ainda, sinceramente, acho que não devemos em hípotese alguma divulgar este fato, pois em pouco tempo ao ser assaltado a vítima vai buscar esta vingança também e assim por diante, devemos sim "Aceitar" a decisão dos Srs. Jurados, pois o "crime-secundário" (homicidio) foi movido por emoção, mas não divulgar ou fazer uma APOLOGIA a tal resultado, pois ainda somos Humanos. Ao cometer um delito, (um amigo sempre me fala sobre isso), o réu recebe uma PENA, a palavra Pena é uma variante de "dó", quando tempos PENA de alguém, todos já sabem o sentido..... , devemos deixar o papel de condenar para quem os tem, jamais buscar a justiça com as proprias mãos. Abraços a todos.

"...sexualmente seu filho de três anos, FOI AB...

Ivan Dario (Advogado Sócio de Escritório)

"...sexualmente seu filho de três anos, FOI ABSOLVIDA. Nesta terça-feira (14/11), o TRIBUNAL DO JURI..." Não há que se falar em Código de Hamurabi. Houve ABSOLVIÇÃO, decretada pelo TRIBUNAL DO JÚRI. Assim sendo, falando de forma muito concisa, estão presentes as fontes primárias de revelação da licitude de nosso ordenamento jurídico. Parabéns aos membros do Júri pela decisão. Tomara que seja divugada massivamente.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 22/11/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.