Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Caso Francenildo

MPF pede mais investigações da violação do sigilo de Francenildo

Para o Ministério Público Federal, as investigações sobre a quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo Santos Costa ainda não são suficientes. O MP enviou, nesta terça-feira (2/5), os autos do inquérito policial para a 10 ª Vara da Justiça Federal de Brasília. Eles querem que o prazo para a conclusão do inquérito seja prorrogado por mais 30 dias.

Segundo os procuradores Gustavo Pessanha Velosso e Lívia Nascimento Tinoco, apesar de os fatos já estarem bem delineados, ainda é necessário esclarecer as circunstâncias em que ocorreram os delitos.

No parecer enviado à Justiça, os procuradores pedem várias diligências ao delegado Rodrigo Carneiro, responsável pelo inquérito. Entre os pedidos estão novos depoimentos de Jorge Mattoso, ex-presidente da Caixa Econômica Federal, do secretário de Direito Econômico, Daniel Goldberg, e do chefe de gabinete do ministro da Justiça, Cláudio Alencar.

Os procuradores estão solicitando também o arquivamento de parte do inquérito onde Francenildo é investigado por lavagem de dinheiro. O sigilo bancário do caseiro foi quebrado enquanto ele depunha à CPI dos Bingos no Senado.

O escândalo do vazamento dos dados sigilosos para a imprensa foi responsável pela queda do então ministro da Fazenda, Antonio Palocci. Em depoimento à Polícia, Jorge Mattoso confessou que entregou os dados bancários do caseiro para Palocci.

Revista Consultor Jurídico, 2 de maio de 2006, 20h18

Comentários de leitores

3 comentários

Será que um gatimho que nasceu dentro de um for...

Francisco Lobo da Costa Ruiz - advocacia criminal (Advogado Autônomo - Criminal)

Será que um gatimho que nasceu dentro de um forno de barro pode ser considerado um pão de torresmo?

Parabens aos Delegados Federais que vem atuando...

Sérpico (Estagiário)

Parabens aos Delegados Federais que vem atuando de forma brilhante na condução de Inquéritos Policiais de suma importância para acabar com a impunidade no Brasil.

O Dr. Rodrigo Carneiro, autoridade policial, te...

Rossi Vieira (Advogado Autônomo - Criminal)

O Dr. Rodrigo Carneiro, autoridade policial, tem dirigido muito bem esse caderno investigativo. Age com prudência e ímpar discrição:reserva, circunspeção, discernimento e sensatez. Acho até, invadindo o galho alheio, que O MPF teria condições de denunciar... enfim, cada macaco no seu galho. Assente-se o ótimo trabalho do Delegado de Polícia Federal, dignificando a classe como um todo. Parabéns. Otávio Augusto Rossi Vieira, 39 advogado criminal em São Paulo.

Comentários encerrados em 10/05/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.