Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Expressão ofensiva

Jorge Kajuru é condenado por chamar Milton Neves de rei do jabá

O jornalista Jorge Kajuru foi condenado a três meses de detenção e 10 dias-multa por difamar o apresentador Milton Neves, da TV Record. A decisão é da juíza Graciella Salzman de Almeida, da 1ª Vara de Barueri, em São Paulo. A pena de detenção foi substituída pelo pagamento de outros 10 dias-multa.

Os advogados de ambas as partes vão recorrer da decisão. Francisco Queiroz, que representa Kajuru, vai tentar reverter a condenação. Já os advogados de Milton Neves, Fernando Castelo Branco e Patrícia Wagman Fuchman, querem aumentar a pena, que consideraram “baixa”.

Milton Neves entrou com queixa-crime contra o jornalista sustentando que foi ofendido por ser chamado de “rei do jabá” em entrevista ao programa A Casa é Sua, da Rede TV. Consta da ação que, ao se referir ao piloto Emerson Fittipaldi, Jorge Kajuru afirmou: “Você tem mais jabá que o Milton Neves da Record, correto?”.

Em sua defesa, Kajuru alegou que não quis ofender o apresentador. O jornalista afirmou, em depoimento, que considerar ofensiva a expressão jabá é uma questão de conceito e não significa necessariamente que quem faça isso esteja cometendo algum tipo de corrupção. Ele disse, ainda, que a afirmação foi feita em tom bem humorado e não de forma pejorativa.

A juíza não acolheu os argumentos. Ela afirmou que “ainda que a expressão ‘rei do jabá’ tenha sido emitida em tom bem humorado, tenho que a mesma era passível de ofensa à honra, notadamente em razão de sua interpretação duvidosa”.

Na decisão, Graciella ressaltou, ainda, que “ao afirmar que o querelante (Milton Neves) recebeu ‘jabá’, o querelado (Jorge Kajuru) denegriu a imagem daquele, tendo-o difamado, já que a ele imputou fato ofensivo à sua reputação, configurando o crime de difamação, já que pessoas que recebem a denominada ‘bonificação’, no meio artístico, são tidas como pessoas que não agem de acordo com a ética”.

Revista Consultor Jurídico, 1 de março de 2005, 20h20

Comentários de leitores

7 comentários

O Kajuru não falou nada demais. O Brasil int...

EduardoMartins (Outros)

O Kajuru não falou nada demais. O Brasil inteiro sabe que é verdade, que não tem nenhum programa esportivo na televisão brasileira (pelo menos em tv aberta e q eu assista) que tenha maior número de propagandas por segundo, é uma coisa de louco. Qual ofensa que há nisso ? Daqui a pouco estão condenando as pessoas até por te olharem feio. Na minha humilde opinião isso é um exagero.

Olha, conheço o Jorge Kajuru desde o tempo que ...

marfusnet (Funcionário público)

Olha, conheço o Jorge Kajuru desde o tempo que ele era dono da radio K em goiás e posso afirmar que ele revolucionou as radios e tvs esportivas no estado podemos dizer que temos o antes e depois de Kajuru ele soube valorizar e profissionalizar os trabalhadores de esportes no estado que antes dele eram poucos valorizados com salários ridiculos, gerando na epoca uma concorrencia entre os meios de comunicação valorizando assim os profissionais; Ele teve na época dezenas de processos por emitir opiniões em seus programas, opiniões que pra mim eram justas e verdadeiras sendo condenado em apenas um processo dentre dezenas que respondia,não acredito que ele tambem fosse culpado neste pq tudo que ele dizia era com provas; No mundo que vivemos hoje não podemos dizer o pensamos, não podemos falar a verdade pq a verdade doi, temos que nos calar e viver uma falsa liberdade e nos acustumar com uma impremssa falsa e hipocríta.

Olha gosto do Kajuru e do Milton Neves, por iss...

SYLLÃO (Servidor da Secretaria de Segurança Pública)

Olha gosto do Kajuru e do Milton Neves, por isso concordo com o Kajuru, em genero e numero, o Miltom Neves é rsrsrrs é o "Rei do Jaba", não tem pra ninguém. É minha opnião sincera. Syllão.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 09/03/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.